Acusados da morte do cinegrafista Santiago Andrade vão a júri popular

Rejeitado pedido de habeas corpus, pelo Ministro do Supremo Tribunal Federal, Gilmar Mendes (STF), imputado pela defesa de Caio Silva de Souza e Fabio Raposo Barbosa, os dois réus irão ao Plenário do Tribunal do Júri, eles são acusados da morte do cinegrafista Santiago Andrade em 2014.

Os advogados de defesa recorreram da decisão do Supremo, alegando que um recurso extraordinário defensivo ainda esta pendente de admissibilidade no STJ, o primeiro pedido foi em abril deste ano.

O ministro levou em conta os recursos extraordinários são desprovidos de efeito suspensivos, confirmando a decisão monocromática  ao Ministro relator do STJ Jorge Mussi “ A decisão questionada na presente impetração esta em perfeita sintonia com a jurisprudência do STF sobre o tema”, escreveu ministro Gilmar Mendes.

O caso

Santiago Andrade, no exercício da profissão, cobrindo a manifestação no Centro no dia 6 de fevereiro de 2014, foi atingido na cabeça por um rojão, ele teve morte cerebral quatro dias após, aos 49 anos.