Alunos do Sesi e do Senai criam prótese e realizam sonho de colega

João Lucas comemora a realização de um sonho
Publicado em 04 de Março de 2017

No mês em que as atenções estão voltadas para o Carnaval, os alunos do ensino médio da Escola Sesi estavam imbuídos em tornar realidade o sonho do colega da educação infantil, da mesma instituição em Duque de Caxias, que era poder tocar violão. João sempre quis tocar o instrumento, porém nasceu sem o antebraço esquerdo.

Sensibilizados com a situação do menino, os colegas Allan Alves, Guilherme Nunes e Davi Miranda, articulado com o Técnico em Automação do Senai, assumiram o desafio, para desenvolverem o projeto “Garra Mecânica”. E em pouco mais de 6 meses de elaboração e montagem, a prótese foi entregue ao menino, no dia 3 de fevereiro, na própria unidade de ensino.

Emocionado, João recebeu a “Garra Mecânica” das mãos dos amigos, e disse que a prótese é mais que um presente, é a a realização de seu sonho.“É mais do que um presente, é a realização do meu sonho. A garra foi feita especialmente para mim, própria para tocar violão e ainda tem os desenhos dos meus personagens preferidos. Ninguém tem uma prótese igual a minha. Ela é “irada”, brincou João Lucas. 

Alunos do SESI e do SENAI observam João arriscar seus primeiros acordes

De acordo com a coordenadora da Escola SESI Duque de Caxias, Marcília Rodrigues, os alunos já estavam envolvidos com a execução de projetos para a Mostra SENAI de Projetos Integradores, realizado em setembro do ano passado, quando foram desafiados a realizar o sonho de João Lucas. “Os alunos procuraram os professores do SENAI para iniciar um projeto específico para o João Lucas, que queria muito tocar violão. Os instrutores, juntamente com os estudantes, fizeram pesquisas a respeito do tema e de como viabilizar o projeto. Nós, gestores, não podemos ficar presos somente ao administrativo da escola, precisamos ser sensíveis aos sentimentos dos nossos alunos”, enfatizou a coordenadora.

De acordo com Sandro Marques, coordenador do SENAI Duque de Caxias, o projeto ganhou uma proporção muito maior do que os alunos esperavam. “O projeto saiu da sala de aula do SESI e do laboratório do SENAI para o laboratório do FabLab, em Benfica, para a execução. A dedicação deles foi fundamental para a concretização da prótese. Esse projeto mudou a percepção de vida de todos nós, porque envolveu sentimento, proporcionando alegria e brilho nos olhos do menino João”, revelou.

Os pais de João Lucas, se emocionaram ao verem o filho arriscando os primeiros acordes ao violão: “Parecia impossível até aparecer uma equipe tão sensível, competente e dedicada para realizar o sonho do meu filho. Ele já era um menino muito feliz, mas agora é muito mais completo”, confidenciou a mãe ainda tomada pela emoção.

Fonte: Sistema Fijan Notícias