Apoio à retomada da indústria naval.

Prefeitura de Niterói apoia movimento de metalúrgicos.

Na tarde de quinta-feira (18/05), metalúrgicos e sindicatos da categoria em Niterói e na cidade do Rio de Janeiro foram recebidos pelo prefeito de Niterói Rodrigo Neves, foi discutida a crise do setor naval e demissões na área. O prefeito anunciou que em junho realizará em atividade conjunta em torno deste pleito, onde reunirá parlamentares, trabalhadores e prefeitos em defesa dos empregos e da utilização do conteúdo nacional na cadeia produtiva de petróleo e gás. Também foi definida a criação de um fórum permanente de debate.

Neves afirma que buscará diálogos com prefeitos do Rio de Janeiro e Angra dos Reis para soluções as instancias  estaduais e federais , entre sindicatos de metalúrgicos e prefeituras, sobretudo nas três cidades onde se concentra maior quantidade de empresas e empregos do setor naval. A reunião foi  a pedido dos metalúrgicos, e em outros encontros com o presidente da Câmara dos Deputados Rodrigo Maia e da Petrobras Pedro Parente, se pronunciou sobre a necessidade de ter um olhar sobre a situação dramática do setor naval do Rio de Janeiro. Há dois anos a indústria naval gerava 36 mil empregos diretos e hoje gera 4 mil. Em Niterói 14 mil postos de trabalhos caíram par 1,5 mil. O presidente do sindicato dos metalúrgicos de Niterói, Edson Rocha entende que o município além de ser  pioneiro da indústria naval brasileira, tem um polo mais prejudicado do Brasil com as demissões .

O presidente do sindicato já teve reunião também em Brasília, ele afirma que no Rio de Janeiro onde estes trabalhadores residem e o sindicato esta baseado, tenha mais expressão.

“Estamos no inicio de uma luta para transformar o setor naval em uma indústria de estado, não de governo”.

Manoel Monteiro representante do sindicato dos metalúrgicos do Rio de Janeiro ressaltou que busca parceiros para reativar a indústria naval, e esse encontro com o prefeito Rodrigo Neves, sabedor das necessidades do município e o impacto da queda da indústria naval.