Banco do Brics pode apoiar projetos de desenvolvimento no Rio

Crivella com o vice-presidente da Shangai Construcion Group Tang Inei Foto: Divulgação / PMRJ

O Novo Banco de Desenvolvimento (NBD), organismo multilateral que reúne os países do Brics (Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul), vai mandar uma missão ao Rio de Janeiro para estudar a implantação de projetos na cidade. A decisão foi anunciada nesta quinta-feira (9), na China, durante reunião do presidente da entidade, K.V.Kamath, com o prefeito do Rio, Marcelo Crivella, na sede do Banco, em Shanghai. A missão terá a presença do CEO e vice-presidente do NBD, Xian Zhu, e de seu diretor-geral, Shaohua Wu, que participaram do encontro.

“Queremos fazer mais negócios com o Brasil. Estamos muito interessados em projetos de infraestrutura e desenvolvimento sustentável. Vamos estudar as garantias federais para isso”, afirmou Kamath.

O diretor de estratégia e parcerias do NBD, Sergio Suchodolski, reforçou a intenção da entidade.

“Os projetos que o Rio de Janeiro está apresentando, de saneamento, urbanização, transporte, de iluminação, de smart city, estão dentro do foco geral do NBD, estabelecido na criação do banco, e dentro de sua estratégia de cinco anos. Os projetos já estão estruturados e estão muito alinhados com o que o banco pretende financiar no Brasil. Nossa equipe operacional já está revisando e queremos trabalhar em conjunto com as secretarias e a equipe do prefeito Crivella”, ressaltou Suchodolski.

Antes do encontro no NBD, o prefeito do Rio se reuniu com Tang Inei, vice-presidente de uma das mais importantes empreiteiras da China, a Shanghai Construction Group, holding que controla 300 companhias, com crescimento de 20% ao ano e faturamento de cerca de R$ 57 bilhões. A SCG foi responsável pela construção do maior arranha-céu do país, e segundo do mundo: a Shanghai Tower, de 632 metros. E entre uma série de obras recordistas, fez a primeira linha de trem de levitação magnética de uso comercial do mundo – que pode atingir até 400 km/hora – e a maior ponte estaiada do planeta. Também já ergueu 70 prédios com mais de 200 metros de altura. A SCG realizou 160 projetos em 40 países, mas nenhum na América do Sul.

“Nós queremos expandir nossa atuação para o resto do mundo, seguindo o pensamento do presidente da China, Xi Jinping. Gostaríamos muito de ter o apoio do prefeito e de explorar o mercado do Rio”, afirmou Inei.

À tarde, Crivella foi à sede da Arc Plus, empresa de design que trabalha em parceria com a SCG. Ao ser apresentado aos planos do Rio, o vice-presidente do Conselho da ARC Plus, Yun Qin, se mostrou receptivo.

“São ótimos projetos, é uma ótima oportunidade e é um bom momento para a gente. Vamos fazer uma análise e mandar uma equipe ao Rio” – avaliou Qin.

Em sua primeira viagem à China, o prefeito do Rio ficou impressionado com o desenvolvimento econômico das cidades de Beijing, Hangzhou e Shanghai, os três destinos visitados.

“Nós procuramos empresas para fazer parcerias. Se nós construirmos no Rio prédios como esses que vimos em Shanghai, será uma mostra da pujança da China não só para o Brasil, mas para toda a América Latina”, afirmou o prefeito Marcelo Crivella, que à noite ainda visitou a sede da China State Construction Harbour Construction.

Deixe uma resposta