Bandeira de luta” É lançada a biografia do sindicalista Fernando Bandeira

A escritora Ana Helena Tavares acaba de lançar a biografia de Fernando Bandeira, líder sindical e um dos fundadores do PDT. Bandeira atuou também como deputado estadual Constituinte. A obra “Bandeira de luta” (Editora Revan) fala da vida do sindicalista, sua luta e trajetória

Capa do Livro
Livro sobre o Deputado Fernando Bandeira

A escritora Ana Helena Tavares acaba de lançar a biografia de Fernando Bandeira, líder sindical e um dos fundadores do PDT. Bandeira atuou também como deputado estadual Constituinte. A obra “Bandeira de luta” (Editora Revan) fala da vida do sindicalista, sua luta e trajetória.

Segundo o brizolista Vivaldo Barbosa, que assina o prefácio, Bandeira optou pelo trabalhismo, pelo nacionalismo, pelos caminhos do socialismo, na forma em que vêm sendo praticados no Brasil desde suas raízes, na Revolução de 1930. Barbosa enumera as opções de Bandeira: Primeiro, não titubeou em seguir Brizola na fundação e na organização do PDT como instrumento das lutas políticas do povo brasileiro.

“Em seguida, Bandeira igualmente não vacilou em se lançar contra a reforma sindical tentada no início do governo Lula, que pulverizaria o sindicalismo nacional, enfraquecendo a luta dos trabalhadores. A unicidade sindical é uma regra fundamental para o fortalecimento dos sindicatos, pois evita sua divisão. É uma das pernas que Darcy Ribeiro via caminhar o sindicalismo brasileiro. A outra é o imposto sindical, que dá ao sindicato independência do patronato e do governo”, conta Vivaldo Barbosa.

Ana diz na biografia que Bandeira articulou, junto com outras figuras influentes do meio, a formação do Fórum Sindical dos Trabalhadores, que reuniu diversas lideranças sindicais do país contra o projeto de Emenda Constitucional que visava implantar a pluralidade sindical e terminar com o princípio da unicidade, que faz com que os trabalhadores permaneçam unidos na luta na mesma base territorial.

O fórum deu resultado e a Emenda foi sepultada no Congresso Nacional. “Foi a partir daí que surgiu a Nova Central Sindical dos Trabalhadores, que desde então, tem lutado em defesa dos interesses dos trabalhadores e do Brasil”, conta Ana.

Segundo a autora, dado seu vínculo com o trabalhismo e o nacionalismo, Bandeira lançou-se na luta contra as privatizações nos governos Collor e Fernando Henrique Cardoso, e as feitas no Rio, no governo do PSDB de Marcelo Alencar, por serem contrárias aos interesses dos trabalhadores das empresas e por ser contrário aos interesses nacionais. Os dados biográficos colhidos por Ana mostram que Bandeira sempre esteve ligado aos interesses dos trabalhadores e da nação. “Essa tem sido a luta de Bandeira, a sua trajetória, a razão de ser da sua vida. Se Brizola e Darcy Ribeiro se diziam ‘socialistas morenos’, Bandeira não faz por menos. Seu socialismo é clarividente porque nasce da prática e do exemplo diário. Até refeições são compartilhadas”, elogia Vivaldo Barbosa.

A lista de atuação de Bandeira perante sindicatos e entidades voltadas para os trabalhadores é grade: atuou como secretário-geral do Sindicato dos Vigilantes e Empregados em Empresas de Segurança, de Vigilância, de Transporte de Valores, de Prevenção e Combate a Incêndios, de Cursos de Formação, Similares ou Conexos (Sindvig). Ocupou a função de tesoureiro no Sindicato dos Policiais Civis (Sinpol) e também como presidente do Sindicato dos Empregados de Agentes Autônomos no Comércio e Empresas de Assessoramento, Perícias, Informações e Pesquisa (Sindaut).

 

Ficha Técnica

Autora: Ana Helena Tavares

Preços: R$ 28,00   /e-book: R$ 19,00