Bloqueio econômico dos EUA de quase 57 anos contra Cuba continua vigente

Mário Augusto Jakobskind - Arte Rafael Sarrasqueiro

Muito se comenta sobre o reatamento de relações entre Estados Unidos e Cuba, ocorrido  há mais de dois anos e meio na gestão do Presidente Barack Obama, mas pouco destaque se dá à questão do embargo econômico financeiro decretado desde outubro de 1960 contra a ilha caribenha e que segue vigente, apesar das críticas nos mais diversos quadrantes e até mesmo nas votações condenatórias em âmbito da Organização das Nações Unidas.

Como exemplo concreto de que essa aberração continua vale assinalar que o Escritório de Controle de Ativos Estrangeiros (OFAC) do governo estadunidense impôs multa à empresa American Honda Fianance Corporation (AHFC), no valor de 87.255 dólares, por violar regulamentos do bloqueio norte-americano contra Cuba.

O “crime” ocorreu, segundo informação que pode ser encontrada no  site doDepartamento do Tesouro dos Estados Unidos, porque  uma das subsidiárias no Canadá da AHFC, a Honda Canadá Finance e Incorporation, aprovou e financiou 13 acordos de aluguel de veículos entre a Embaixada de Cuba no referido país e uma concessionária  da Honda em Ottawa, entre fevereiro de 2011 e março de 2014.

A multa decretada pela OFAC se soma a longa lista de sanções extraterritoriais do  governo dos Estados Unidos com base nas (absurdas) leis que regulam o bloqueio econômico, comercial e financeiro contra Cuba.

No último mês de janeiro, apenas uma semana antes de finalizar o mandato do  Presidente Barack Obama, o Departamento de Tesouro dos Estados Unidos impôs à organização sem fins lucrativos Aliança por uma Política Responsável para Cuba e o banco canadense Toronto Dominion (TD), duras multas no valor de 10.955.750 (dez milhões, 955 mil  e 750 dólares), respectivamente, por violar os regulamentos do bloqueio à ilha caribenha.

Desde 17 de dezembro de 2014, quando do anúncio do reatamento de relações Estados Unidos Cuba, o governo norte-americano  multou 11 entidades – sete estadunidenses e quatro estrangeiras – no valor de 2.842.429.064 (dois bilhões 842 milhões 429 mil e 64 dólares).

No total durante os dois mandatos de Obama (2009-2017) foram 56 multas impostas por violações das sanções contra Cuba que alcançaram cifras astronómicas de 14.272.985.610 (14 bilhões, duzentos e setenta e dois milhões, novecentos e oitenta e cinco mil e seiscentos e dez dólares).

O absurdo bloqueio norte-americano segue afetando o povo cubano como demonstra a sanção decretada contra a Honda Finance Corporation revelada no início deste informe omitido pela mídia comercial conservadora do Brasil e da América Latina. Tanto assim que para obter os dados aqui revelados foi necessária a consulta do boletim informativo CubaDebate.