Brasil faz jogo equilibrado, mas é superado pela Polônia

quipe brasileira lutou no duelo contra os atuais campeões mundiais, levou o jogo ao set decisivo, mas acabou superado por 3 sets a 2

Seleção brasileira (Divulgação/FIVB)

Uma seleção brasileira com caras novas estreou nesta sexta-feira (02.06) na Liga Mundial 2017. Com novidades que começavam pelo comando, através do novo técnico Renan Dal Zotto, o Brasil, atual campeão olímpico, enfrentou a Polônia, atual campeã mundial, e acabou superado por 3 sets a 2 (20/25, 25/20, 25/19, 22/25 e 8/15), na partida disputada na Adriatic Arena, em Pesaro, na Itália.

A equipe brasileira começou com a base que venceu os Jogos Olímpicos em 2016: o levantador Bruninho, o oposto Evandro, os centrais Lucão e Maurício Souza, os ponteiros Lucarelli e Maurício Borges e a novidade veio no líbero Tiago Brendle. Três jogadores que estreiam em Liga Mundial estavam no banco: Otávio, Murilo Radke, Rodriguinho e Thales.

O oposto Evandro foi um dos destaques da partida, sendo o maior pontuador do confronto, com 22 acertos. O ponteiro Lucarelli também ajudou bem na pontuação, marcando 19 vezes.

O maior vencedor da Liga Mundial, com nove títulos, começou atrás, se recuperou, venceu os dois sets seguintes, oscilou um pouco no quarto set e a Polônia acabou levando a melhor na reta final da partida. O Brasil chegou para a Liga Mundial após apenas duas semanas de trabalho com o time completo.

Após a partida, o capitão Bruninho falou sobre as dificuldades enfrentadas pela seleção brasileira após tão pouco tempo de preparação no período que a equipe teve entre a final da Superliga e o início da Liga Mundial.

“Como de costume, estreia é sempre complicado. O nosso time cometeu muitos erros, não tínhamos feito nenhum amistoso e é difícil vir sem nenhum tipo de treinamento um pouco mais sério. Mas, é início de um trabalho, temos muito a crescer ainda, buscar melhorar, evoluir a cada partida e é esse que tem que ser o nosso objetivo”, destacou o levantador do Brasil.

O técnico, Renan Dal Zotto, também analisou o desempenho da seleção brasileira set a set, destacando, assim como Bruninho, a falta de ritmo de jogo.

“Fizemos algumas coisas boas nessa partida, mas tivemos um primeiro set com muitos erros. No segundo e no terceiro, jogamos bem, estivemos o tempo todo na frente. No quarto, estivemos na frente, mas não conseguimos manter o ritmo de jogo. Isso nos mostra, claro, que precisamos melhorar, evoluir, mas principalmente a falta de jogo. Foi um 3 a 2 foi importante para vermos o que é preciso melhorar, já que não tivemos a oportunidade de analisar isso antes da estreia”, comentou Dal Zotto.

O Brasil, campeão da Liga Mundial nos anos de 1993, 2001, 2003, 2004, 2005, 2006, 2007, 2009, 2010, volta à quadra neste sábado (03.06). Desta vez, o duelo será contra o Irã, às 12h (Horário de Brasília), no mesmo local, com transmissão ao vivo dos canais SporTV.

O JOGO

A Polônia abriu o placar do jogo em um erro do Brasil. Os poloneses ainda abriram 3/0. Evandro marcou o primeiro ponto brasileiro. Com Lucarelli, a seleção brasileira deixou tudo igual em 3/3. No lance seguinte, Evandro virou para 4/3. Lucarelli bloqueou e fez 5/3. A vantagem foi para três pontos em 8/5 no bloqueio de Lucão. A Polônia buscou e em boa passagem de Kubiak no saque, empatou em 8/8. No ponto de saque de Evandro, a equipe brasileira marcou 11/8. O adversário voltou a empatar em 11/11. O Brasil esteve dois à frente em 16/14. Os poloneses reagiram e, quando assumiram o comando do marcador (19/18), Renan parou o jogo. No ace de Lemanski, o adversário abriu 21/18. O placar ainda foi a 22/18 e Renan pediu tempo. No final, vitória da Polônia por 25/20.

O segundo set começou com equilíbrio. No bloqueio de Lucão, o Brasil fez 4/2. Os poloneses reagiram e viraram a parcial para 6/5. Com Lucão, a seleção brasileira voltou a comandar o marcador em 8/7. Com dois bloqueios seguidos de Maurício Souza, o placar foi a 10/7. O adversário pediu tempo. Lucarelli pontuou no ataque e o Brasil marcou 12/8. O marcador apontou 14/11 favorável a seleção brasileira. No ataque de Evandro, 18/15. A Polônia encostou em 17/18 e Renan Dal Zotto pediu tempo. Com Evandro no bloqueio, o Brasil chegou a 22/19. Maurício Borges marcou 24/19 e a seleção brasileira fechou em 25/20.

O Brasil começou melhor e abriu 3/1 no começo do terceiro set. A Polônia reagiu e deixou tudo igual em 4/4. Com Maurício Borges, a equipe brasileira abriu dois de vantagem: 8/6. Em boa passagem de Maurício Borges pelo saque, o time de Renan Dal Zotto seguiu pontuando, marcou 10/6 e forçou o técnico adversário a pedir tempo. Na volta, bloqueio brasileiro e 11/6. A vantagem de cinco pontos caiu para dois em 13/11. Depois de boa recuperação de bola de Maurício Borges, Evandro pontuou e o Brasil fez 14/11. Com Lucão, o Brasil fez 18/15. Maurício Souza fez 22/19. E com dois aces de Lucarelli, o Brasil fechou em 25/19.

A Polônia saiu na frente e marcou 2/0. A seleção brasileira buscou, empatou o set e virou em 5/4. Com mais um ponto de saque de Lucarelli, a equipe de Renan Dal Zotto chegou a 7/4. Em um potente ataque de Maurício Borges, a equipe brasileira chegou a 9/6. Com Maurício Souza pelo meio, o Brasil marcou 13/10. Os poloneses buscaram e deixaram tudo igual em 13/13. Renan Dal Zotto pediu tempo. A vantagem brasileira esteve em dois pontos em 15/13. Lucão pontuou e levou o placar a 17/14. No bloqueio, a Polônia empatou em 17/17. A reta final do set seguiu com equilíbrio, com apenas um de vantagem para o Brasil (20/19). O adversário virou a parcial, fez 22/21, e Renan pediu tempo. A Polônia manteve o bom ritmo no final e fechou em 25/22.

Lucarelli abriu o set decisivo para a seleção brasileira. A Polônia virou e, quando marcou 4/2, Renan Dal Zotto pediu tempo. Os poloneses ainda abriram 7/3. Superior em quadra, o adversário do Brasil ainda chegou a 10/4. Maurício Souza pontuou em fez 7/13. No final, vitória polonesa por 15/8.

EQUIPES


BRASIL –
Bruno, Evandro, Lucão, Maurício Souza, Lucarelli e Maurício Borges. Líbero – Tiago Brendle
Entraram – Douglas, Murilo Radke, Renan, Otávio
Técnico: Renan Dal Zotto

POLÔNIA – Konarski, Kurek, Lemanski, Drzyzga, Kubiak e Bieniek. Líbero – Zatorski
Entraram – Muzaj, Lomacz, Sliwka
Técnico: Ferdinando De Giorgi

ARBITRAGEM
1º árbitro – Nasr Shaaban (Egito)
2º árbitro – Shin Muranaka (Japão)

 

Fonte: CBV