Brasil será sede do principal evento internacional sobre produção de carne suína segura

O principal evento internacional que aborda a produção de carne suína segura será realizado pela primeira vez no Brasil. Em sua 12ª edição, o Safepork ocorrerá em Foz do Iguaçu-PR, de 21 a 24 de agosto, reunindo especialistas com a finalidade de contribuir para a inocuidade de produtos de origem suína numa perspectiva integrada, dentro do conceito da fazenda à mesa. Esse fórum de discussão aborda os temas atuais discutidos sobre a inocuidade de produtos de origem suína no âmbito do mercado internacional.

A organização do Safepork 2017 é da Confederação Brasileira de Veterinários Especialistas em Suínos – ABRAVES Nacional, em parceria com a Embrapa Suínos e Aves e Universidade Federal do Rio Grande do Sul.  O evento já ocorreu nos Estados Unidos (Iowa, Califórnia e Maine), Dinamarca, Alemanha, Grécia, Itália, Canadá, Holanda e Portugal. “É a primeira vez em que o evento será organizado fora do eixo Europa-América do Norte, o que permitirá trazer os importantes tópicos de discussão sobre o tema inocuidade dos produtos de origem suína desde a produção até a mesa do consumidor para o público da América Latina”, comentou a pesquisadora da Embrapa Jalusa Deon Kich, presidente do evento.

O público alvo do evento compreende técnicos que atuam no setor de produção de suínos e na indústria de carne suína, nos órgãos reguladores, de defesa e de inspeção, bem como pesquisadores da área. Serão quatro dias de debates por meio de workshops, palestras, fórum de discussão e apresentação de trabalhos científicos.

Para o primeiro dia estão confirmados dois workshops. Pela manhã o tema abordado será a “Modernização da Inspeção de Carne Suína”, com participação do Dr. Lis Alban, chefe do Danish Agriculture & Food Council (DAFC) e professor adjunto da University of Copenhagen – Denmark, e com a auditora fiscal agropecuária do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Dra. Elenita Ruttscheidt Albuquerque. À tarde, o workshop será sobre a “Inovação na cadeia produtiva de suínos: novas tecnologias em diagnóstico, dados e monitoramento”, com o Dr. Alasdair J C Cook, da University of Surrey – United Kingdom, e Dra. Diana Meemken, da University Halle-Wittenberg.

A abertura oficial do evento está marcada para o segundo dia, dia 22, pela manhã, com a palestra “A importância da cadeia de produção de suínos e os desafios a serem enfrentados”, com a chefe geral da Embrapa Suínos e Aves, Dra. Janice Reis Ciacci Zanella. Em seguida, ocorre a palestra “Toxoplasma gondii e o papel da carne suína”, com a Dra. Sara Monteiro Pires, da Technical University of Denmark. Ainda pela manhã ocorre a sessão “Epidemiologia de patógenos transmitidos por alimentos e zoonoses na cadeia produtiva de suínos”.

A programação da tarde inclui a palestra “Resiliência na cadeia de insumos e produção de carne suína na perspectiva da inocuidade dos alimentos”, com a Dra. Lis Alban, da Danish Agriculture & Food Council (DAFC) e University of Copenhagen – Denmark. Nesta tarde a sessão será sobre “Monitoramento e controle de patógenos transmitidos por alimentos no pré-abate e no pós-abate – incluindo educação do consumidor – e seu impacto econômico”.

No dia 23, a palestra da manhã será sobre “Transmissão de resistência a antimicrobianos entre suínos e humanos: verdades e mentiras”, com o Dr. Luca Guardabassi, da Ross University School of Veterinary Medicine in St Kitts, West Indies.  Ainda pela manhã estão marcadas duas sessões. Uma delas sobre “Antimicrobianos na produção de suínos, resistência a antimicrobianos, estratégias alternativas ao uso de antimicrobianos” e outra sobre “Detecção de perigos na carne suína e inovações na cadeia produtiva de suínos: diagnóstico, dados e monitoramento”.

À tarde, no dia 23, ocorre a palestra “O uso da avaliação de risco como base para o controle de Salmonella na carne suína”, com o Dr. Maarten Nauta, da Technical University of Denmark. Também estão marcadas duas sessões: “Inspeção de carne suína, qualidade, higiene, inocuidade e preservação” e “Avaliação de risco e comunicação de risco na inocuidade dos alimentos”.

Para o último dia do evento, dia 24, a programação inclui o fórum de discussão sobre “Segurança dos Alimentos: perspectiva comercial, econômica, social e política”, coordenado pelo o Dr. Marcelo Miele, chefe adjunto de Transferência de Tecnologia da Embrapa Suínos e Aves, onde serão abordados assuntos como: “Custos de produção de suínos nos principais países produtores, custos de biosseguridade e de medicamentos e impacto nos custos totais, tendências gerais nos países membros da InterPIG”; “Comércio internacional da carne suína, restrições, requisitos e desafios enfrentados pela indústria brasileira”; “Tendências tecnológicas na produção de suínos e na segurança alimentar dos suínos, o seu impacto futuro nos custos de produção”; “Custo social das doenças transmitidas por alimentos”.

Fonte: Embrapa