Caixa de Remédio

Por, Carla Giffoni

 Publicado, 14 de Dezembro de 2016

Sou uma caixa de remédios muito fashion.

Minha dona é uma jovem de trinta anos e ela me comprou justamente porque não sou como essas caixas comuns que carregam e organizam pílulas.

Não! Sou descolada, com um estilo retrô século XXI, com brilho e espelhos.

Tenho muito orgulho de ser como sou, afinal, minha dona me considera a salvadora de sua vida, porque nos meus compartimentos há remédios para sanar todos os seus males.

Tem o remédio para o emagrecimento. Ela acha que precisa emagrecer no mínimo cinco quilos. Eu acho que está ótima, mas como minha opinião não vale neste caso, minha dona toma o remédio que vai deixá-la com o corpo perfeito. O problema é que depois ela fica nervosa, mas aí eu entro em ação novamente. e ela ingere um ansiolítico. Depois toma diurético, porque fazer xixi emagrece mesmo, elimina gordura.

Ela leu isso numa dessas revistas de mulherzinha. Como eu e ela somos mulherezinhas mesmo, com muito orgulho, ela toma e eu guardo os comprimidos.

Umas duas vezes na semana ela também engole três cápsulas de laxante, porque nada melhor do que limpar o organismo indo ao banheiro para eliminar todo o chocolate que ela gosta de comer. A culpa é eliminada quando ela aperta a descarga.

Em um dos meus compartimentos também há as milagrosas pílulas anticelulite, e ela toma umas cinco vezes ao dia porque, afinal de contas, não adianta nada ser magrae es tar cheia de casca de laranja, não é mesmo?

Ah, também tenho em meus compartimentos remédio para ela dormir, porque o estresse da coitadinha é grande! Como sou sua amiga mais fiel, guardo o remedinho para ela nanar com os anjos.

Também tenho remédio para ela acordar, porque a cápsula para dormir faz tanto efeito, que só tomando uma pílula para acordar de vez.

Minha dona pensa muito na saúde e tem uma pílula feita com todas as cascas de árvores da Amazônia, cuja finalidade é repor todas as vitaminas e sais minerais de que um corpo saudável necessita. Afinal, tomar vitaminas em cápsulas não engorda.

Sou uma super-heroína moderna! Estilo Mulher Maravilha, sabe?

Hoje em dia é muito comum ter remédio para todos os males e, com isso, graças a Deus!, eu e outras caixas de remédios estamos tão em voga.

Perdeu um amor?

Tome um remédio.

Ganhou outro amor?

Tome um remédio.

Brigou com o chefe?

Tome um remédio.

Foi promovida?

Tome um remédio.

É a glória para nós, caixas de remédios, porque, com tantas cápsulas para administrar durante o dia, nos tornamos essenciais na existência de todos.

A vida tem remédio!

Artigo anteriorPT deverá ter candidato próprio no Estado do RJ
Próximo artigoPolíticos e juristas debatem conjuntura nacional
Carla Giffoni: Jornalista, escritora e roteirista. Atuando há 20 anos como jornalista nas Editorias dePolítica, Polícia, Economia, Cultura e Cidades, em revistas, jornais, sites e emissora de TV, entre eles: Tribuna da Imprensa, Revista Menorah, repórter do Portal de Notícias SolidáRio, TV Bandeirantes (BM), jornal A voz da Cidade, Rádio do Comércio. Colaboradora do roteirista José Carvalho no filme “Vidas partidas”; colaboradora do roteirista Doc Comparato para o projeto “Peritos da Verdade”. Pós-graduada em Jornalismo Cultural e em Roteiro para Cinema e TV (UVA); graduada em Comunicação Social – habilitação em Jornalismo – e também em Letras/Formação de Escritor (PUC-RJ).
COMPARTILHAR