Canadá substitui placa do memorial do Holocausto que omitiu o assassinato de judeus  

Justin Trudeau falando na inauguração do primeiro memorial do Holocausto do CanadáJustin Trudeau falando na inauguração do primeiro memorial do Holocausto do Canadá. Foto Rua Judáica

Rua Judaica- Israel

A placa que marcará a abertura do Monumento Nacional do Holocausto do Canadá será substituída, após a original não ter mencionado que os judeus eram a maioria das vítimas. A ministra do patrimônio, Melanie Joly, afirmou que a placa será substituída e também reiterou que o monumento lembrará os 6 milhões de judeus e mais 5 milhões de outros mortos pelos nazistas durante o Holocausto.

“No dia em que nos mostraram o monumento percebemos que o painel na entrada não mencionava os judeus”, disse Martin Sampson –  diretor de comunicações do Centro para Israel e Assuntos Judaicos.  “Nós levamos nossas reclamações para o governo. Eles foram muito receptivos, reconheceram o erro e concordaram em corrigi-lo imediatamente “.

O primeiro-ministro Justin Trudeau inaugurou o inicio da construção do monumento no final do mês passado. Ele afirmou que isso servirá para “lembrar milhões de homens, mulheres e crianças assassinadas durante o Holocausto e para honrar os sobreviventes que perseveraram e conseguiram chegar ao Canadá depois de um dos capítulos mais sombrios da história”.

“Hoje, reafirmamos o nosso compromisso inabalável de combater o antissemitismo, o racismo, a xenofobia e a discriminação em todas as suas formas e homenageamos aqueles que experimentaram o pior da humanidade”, afirmou Trudeau na abertura do monumento. “Nós podemos honrá-los lutando contra o ódio com amor e buscando sempre enxergar o outro”.

O Canadá foi o único poder aliado que lutou na Segunda Guerra Mundial a não ter um memorial nacional do Holocausto.

O memorial levou uma década para ser construído e o custo de mais de US$ 7 milhões está sendo dividido entre o governo e doadores privados.