Carnaval de muito calor e chuvas pelo Brasil

A semana começa com uma pertubação nos níveis médios da troposfera, área de baixa pressão, que contribuirá para tempo totalmente severo, com cavado de superfície de 1008 hPa, associado ao canal de umidade (ZCAS – Zona de Convergência do Atlântico Sul), rio voador, sobre os estados da BA, MG, ES , RJ e forte onda de calor com o regresso da (ASAS – Alta Subtropical do Atlântico Sul).

A zona de convergência de umidade (ZCAS) manterá o tempo ainda instável do Norte ao Sudeste do Brasil, até a entrada do carnaval (09/02).  As chuvas serão na faixa entre o centro e sul da região norte e o litoral de SC, PR e SP e, talvez, no RJ, devido a nova área de baixa pressão de características subtropicais, que contribuirá para linhas de instabilidades.

Na região do Centro-Oeste, ocorrerão pancadas de chuva principalmente entre MT, MS e GO. Essas pancadas deverão ser mais concentras na faixa norte e leste a partir da tarde. Em SP, o tempo estará com maior condição de pancadas de chuva no setor norte do Estado e chuvas isoladas no litoral, que podem se estender até o litoral do RS.

Atenção para o Sudeste! Nova área de baixa pressão, cavado de superfície,  nos dias 09 à 12/02, entre RS, SC, PR, SP e RJ. Modelos GEM, ECMWF e GFS são unânimes, de características subtropicais. As pressões devem baixar nos níveis médios associadas ao novo cavado de superfície entre RJ e SC. Poderá causar tempestades severas por vários estados associadas às Linhas de Instabilidade (LI) e produzirem SCM (sistema convectivo mesoescala) ou CCM (complexo convectivo mesoescala), com chuvas fortes de até 100 mm/h/dia, descargas elétricas, vendavais e queda de granizo associados ao calor e umidade.

Nesta quinta-feira, uma atenção especial para o período da tarde em 08/02.  A ZCAS – Zona de Convergência do Atlântico Sul- ainda poderá causar chuvas fortes entre os estados do RJ, ES, BA, SE e PE devido a área de baixa pressão de superfície na costa com 1008 hPa.

MODELOS GFS-INPE (08/02)

Atenção para os próximos dias entre as datas (10,11,12/13/02),  muitas incertezas devido a nova área de baixa pressão.  Cavado de superfície entre os estados de SC, PR, SP e RJ (talvez) com 1006/1003/1000 hPa, de características subtropicais. Segundo os modelos GFS e CMC, poderá causar ventos costeiros muito fortes,  até 100 km/h, acompanhados de descargas elétricas, chuva forte e possibilidade para queda de granizo.

Lembrando que às Linhas de Instabilidade (LI) que podem produzir SCM (sistema convectivo mesoescala) ou CCM (complexo convectivo mesoescala) são nuvens do tipo Cumulonimbus de grande crescimento vertical e podem gerar até tornados. Em caso de confirmação, a nomeação poderá ser feita pelo Centro Hidrográfico da Marinha do Brasil (CHM), que é responsável pela Bacia desde 2011.

NOAA-GFS (12/02)

MODELOS GFS-NOAA (15/02)

REGIÃO NORTE
Área afetada para 195 municípios de PA e AP:
Nordeste Paraense, Sudeste Paraense, Marajó, Baixo Amazonas, Metropolitana de Belém, Sul e Norte do Amapá, Oeste Maranhense, Leste Maranhense, Norte Maranhense, Centro Maranhense;

REGIÃO NORDESTE

Área afetada para 140 municípios da BA:
Chapada Diamantina, Sul Baiano, Oeste Baiano, Norte Goiano, São Francisco Baiano, Sudoeste Baiano, Sudeste Tocantinense;

REGIÃO CENTRO-OESTE

Área afetada para 517 municípios de RO, RO, TO, MT
Distrito Federal, Sudoeste Rondonense, Alto Madeira, Centro Sul Mato-Grossense, Nordeste Mato-Grossense, Norte Mato-Grossense, Sudeste Mato-Grossense, Sudoeste Mato-Grossense, Centro Goiano, Leste Goiano, Sul Goiano, Norte Goiano, Noroeste Goiano, Jalapão, Sudeste Tocantinense, Sul Tocantinense, Oeste Tocantinense, Centro Tocantinense, Sudeste Rondonense;

Área afetada para 474 municípios de TO, MT, MG, RO,
Aviso para as áreas: Distrito Federal, Sudoeste Rondonense, Alto Madeira, Centro Sul Mato-Grossense, Nordeste Mato-Grossense, Norte Mato-Grossense, Sudeste Mato-Grossense, Sudoeste Mato-Grossense, Centro Goiano, Leste Goiano, Sul Goiano, Norte Goiano, Noroeste Goiano, Jalapão, Sudeste Tocantinense, Sul Tocantinense, Oeste Tocantinense, Centro Tocantinense, Sudeste Rondonense;

Área afetada para 19 municípios de RO: Aviso para as áreas: Alto Madeira, Centro Amazonense, Sudoeste Amazonense, Sul Amazonense, Norte Amazonense;

REGIÃO SUDESTE

Área afetada para 63 municípios do RJ, Subtropical:
Costa Verde, Baixadas Litorâneas, Metropolitana do Rio De Janeiro, Norte Fluminense, Médio Paraíba, Centro Sul Fluminense, Serrana Fluminense;

Área afetada para 66 municípios do ES, norte do estado, ZCAS:
Serrana Capixaba, Metropolitana de Vitória, Litoral Sul Capixaba, Central Sul/Caparaó Capixaba, Rio doce Capixaba, Centro-Oeste Capixaba, Noroeste Capixaba;

Área afetada para 241 municípios de SP e MS:
Leste Sul-Mato-Grossense, Bauru/Araraquara/Piracicaba, Ribeirão Preto, Araçatuba/São José do Rio Preto, Presidente Prudente/Marília/Assis, Centro Norte Sul-Mato-Grossense;

ACUMULADOS DE CHUVAS, risco potenciais:
Chuva entre 30 a 60 mm/h ou 50 a 100 mm/dia. Risco de alagamentos, deslizamentos de encostas, transbordamentos de rios, em cidades com tais áreas de risco;

Instruções:
– Evite enfrentar o mau tempo;
– Observe alteração nas encostas;
– Se possível, desligue aparelhos elétricos e quadro geral de energia;
– Em caso de situação de inundação, ou similar, proteja seus pertences da água envoltos em sacos plásticos;
– Obtenha mais informações junto à Defesa Civil (telefone 199) e ao Corpo de Bombeiros (telefone 193);

RAJADAS DE VENTOS, instruções:
– Não se abrigue debaixo de árvores, pois há risco de queda e descargas elétricas e não estacione veículos próximos a torres de transmissão e placas de propaganda;
– Se possível, desligue aparelhos elétricos e quadro geral de energia;
– Obtenha mais informações junto à Defesa Civil (telefone 199) e ao Corpo de Bombeiros (telefone 193);

TEMPESTADES, Riscos Potenciais:
– Chuva entre 30 e 60 mm/h ou 50 e 100 mm/dia, ventos intensos (60-100 Km/h), e queda de granizo. Risco de corte de energia elétrica, estragos em plantações, queda de árvores e de alagamentos;

Instruções:
– Em caso de rajadas de vento: (não se abrigue debaixo de árvores, pois há risco de queda e descargas elétricas e não estacione veículos próximos a torres de transmissão e placas de propaganda);
– Se possível, desligue aparelhos elétricos e quadro geral de energia;
– Obtenha mais informações junto à Defesa Civil (telefone 199) e ao Corpo de Bombeiros (telefone 193);

Predições/Estimativas da semana (algumas modelagens podem se antecipar ou declinar por divergências):

1ª RODADA

Quarta-feira (07/02), áreas de instabilidade provocarão pancadas de chuva que poderão ser localmente forte em grande parte da BA, ES, MG (Vale do Mucuri, Central Mineira, Vale do Rio Doce, Jequitinhonha, Metropolitana de Belo Horizonte, Norte Mineiro, Noroeste Mineiro). Na cidade do Rio de Janeiro,  no período da tarde, o sol poderá voltar e até o anoitecer  e madrugada, chuvas volumosas deverão vir acompanhadas de rajadas de vento e descargas elétricas no Vale do Paraíba paulista, centro-sul do RJ, Costa Verde, Serrana, Noroeste, Norte Fluminense e dos Lagos. Baixa pressão de características subtropicais (cavado) de superfície com 1008 hPa, sinalizado na tarde de 07/02, pela agencia NOAA;

=== ATENÇÃO ===

Quinta-feira (08/02), chance para chuvas volumosas de 100 mm/h, acompanhadas de descargas elétricas e eventual queda de granizo associados ao calor e umidade. Existe risco para enchentes, inundações e deslizamentos de terra entre parte da BA e ES. No RJ, no período da manhã haverá sol e durante a tarde, a chuva poderá chegar as regiões Norte, Noroeste e dos Lagos.  As chuvas, que poderão ser fortes, resquício da ZCAS – Zona de Convergência do Atlântico Sul- avançam para o mar;

A cidade do Rio de Janeiro capital terá  menor chance de chuvas, ficando somente para o litoral e de forma isolada. O canal de umidade ZCAS começa a se desconfigurar sobre o Sudeste. A área de baixa pressão de características subtropicais, sinalizado pela agencia NOAA, poderá contribuir para tempestades devido a rotação no mar entre ES e BA;

Sexta-feira (09/02), no RJ o sol poderá voltar e as temperaturas ficam altas devido a ASAS. Modelos indicam o fortalecimento da ASAS – Alta Subtropical do Atlântico Sul – que contribuirá para elevação das temperaturas sobre a cidade. No período da tarde, o resquício da ZCAS, poderá causar chuvas fortes no RJ entre o Norte, Noroeste e região dos Lagos. Os modelos indicam a formação da ZCOU-Zona de Convergência de Umidade – de curta duração;

2ª RODADA

Sábado de Carnaval (10/02),  RJ com intercalação de sol e nuvens. Até o final da tarde, novos episódios de tempestades deverão ocorrer devido ao cavado nos Andes que desestabilizará o interior do país. Linhas de instabilidades (LI) associadas a nova área de baixa pressão por dentro do país. Modelos indicam que a zona de convergência, ZCAS-Zona de Convergência do Atlântico Sul, poderá se configurar. Existem chances para temporais no fim da tarde entre as regiões Sul Fluminense, Metropolitana (capital), Centro Fluminense (serrana), Baixadas Litorâneas (região dos lagos), Norte e Noroeste Fluminense.   Lembrando que são nuvens convectivas do tipo Cumulonimbus de grandes crescimento vertical;

=== ATENÇÃO ===

Domingo (11/02), muito calor poderá fazer entre os estados do Sudeste principalmente RJ. Muitas divergência dos modelos GFS e ECMWF, novo cavado em 500 hPa, irá ultrapassar os Andes, desestabilizando o interior do país. São esperados grandes volumes de chuva com possíveis impactos entre os países vizinhos (Paraguai, Argentina e Uruguai). Cavado de média e alta troposfera e chance para formação de tornados

PS: Nestes dias 11 e 12/01, linhas de instabilidades deverão causar chuvas intensas entre os países vizinhos Paraguai, Argentina e Uruguai, Sul e Sudeste do Brasil, devido a formação de uma área de baixa pressão de características subtropicais entre SC, PR e SP. Modelos GFS podem declinar ou não, sobre a chance deste centro depressionário. Ainda assim, as modelagens indicam um novo episódio da ZCAS-Zona de Convergência do Atlântico Sul.  Forte onda de calor com o regresso da (ASAS – Alta Subtropical do Atlântico Sul), neste dia, há chance para ventos costeiros entre os estados de SP e RJ devido a área de baixa pressão entre SC e PR. Como as observações foram feitas no último dia 07/02, podem haver mudanças significativas sobre as condições atmosféricas relatadas neste tópico;

=== ATENÇÃO ===

Segunda-feira (12/02), divergências dos modelos, GFS, GEM e ECMWF, áreas de instabilidades associadas a formação da nova baixa pressão de características subtropicais, poderão causar chuvas volumosas entre os países vizinhos (Paraguai e Argentina) e o Sul do Brasil com possíveis impactos devido ao centro ciclônico da tempestade sobre estas regiões. Existe outro indicativo que deveremos considerar, novo cavado de superfície entre RJ e SP nesta data deverá se deslocar em direção ao PR e SC contribuindo para área de baixa pressão.  A ASAS – Alta Subtropical do Atlântico Sul – manterá o bloqueio sobre a cidade do RJ, sem chances para chuvas fortes;

Terça-feira (13 e 14/02), projeções futuras indicam chance de novo ciclone forte e concêntrico na costa entre o Sul e o Sudeste do Brasil. Algumas projeções podem modificar-se por divergências dos modelos.

Quarta-feira (14/02), ZCAS – Zona de Convergência do Atlântico Sul- poderá causar chuvas volumosas entre os estados do Centro-Oeste e Sudeste, principalmente entre SP e RJ. Linhas de instabilidades poderão causar temporais por todo o estado, sempre no período da tarde. O anti-ciclone, ASAS – Alta Subtropical do Atlântico Sul , cede para esta área de baixa pressão que avança do continente para o mar;

As informações prestadas acima estão sujeitas a atualizações nos próximos dias.

Colaboração do Prof. Douglas V. O. Lessa Paleontólogo do Clima
Fonte de pesquisa: NOAA (Administração Nacional Oceânica e Atmosférica), GFS, GEM, NAVAGEM, CMC, INMET, INPE (BRAMS), Windy, Tempo.pt e Marinha do Brasil.

Deixe uma resposta