Chuvas intensas (ZCAS) e subtropical na costa do Sudeste

No último final de semana (27/01), ocorrerão pancadas de chuva localmente fortes em intensidade, acompanhadas de descargas elétricas e rajadas de vento pontuais em grande parte da faixa central do RS, de SC e do PR, no oeste e norte e parte do Vale do Paraíba em SP e no oeste e sul de MG.  As pancadas de chuva ocorreram a partir da tarde. Na faixa litorânea, entre o sul do RJ e o litoral norte de SP, o dia foi mais fechado com chuva e acumulados expressivos de precipitação. Foram registrados entre os dia 26 e 27/01,  em 24 horas, acumulados de chuvas em Duque de Caxias (220,7 mm), Itaboraí  (213 mm), Magé (173,8 mm),  Nova Iguaçu (136,4 mm),  São Gonçalo (134,5 mm), Mangaratiba (114, 6 mm), Queimados (102,4 mm), Tijuca e Muda (132 mm). Nas demais regiões do RJ,  acumulados acima de 60 mm em áreas como Grajaú, Ilha do Governador, Madureira, Piedade, Jacarepaguá, Grota Funda e São Cristóvão. No litoral sul, Angra dos Reis recebeu 122 mm de chuva.

A semana começou com um distúrbio nos níveis médios da troposfera associado a passagem de uma frente-fria em alto mar, distante da costa, e cavado com 1012 hPa na costa do RJ.   A formação da ZCAS  (Zona de Convergência do Atlântico Sul)  contribui para áreas de instabilidades entre os estados do Centro-Oeste e Sudeste, provocando tempestades no período da tarde, acompanhadas de chuva forte em grande parte da região Sul, em SP (Vale do Paraíba), Triângulo Mineiro e sul de MG, região serrana do RJ e no centro-sul do RJ.

Para os próximos dias (30/31/01 e 01/02), área de baixa pressão de superfície com 1003 hPa, de características subtropicais, segundo os modelos GFS poderá contribuir para tempo totalmente severo com possibilidade de enchentes, inundações, deslizamento de terra em encostas, devido à  ZCAS  entre os estados de SP, MG e RJ (aviso para chuvas volumosas entre as regiões Sul Fluminense, Capital, centro , noroeste, norte Fluminense, baixada litorânea (dos Lagos) e ES.

Modelos GFS-NOAA- SUBTROPICAL

Este padrão atmosférico não sofrerá alterações significativas nos próximos dias garantindo pancadas de chuvas localmente fortes com descargas elétricas e rajadas de ventos em boa parte do centro-norte, interior nordestino e Sudeste do país. Ao longo do dia 30 ocorrerá formação da Zona de Convergência do Atlântico Sul (ZCAS), o rio voador, que deverá atuar até o próximo dia 07 de fevereiro sobre o norte do RJ, ES, MG, GO e MT, podendo gerar acumulados de chuva mais significativos entre o sudeste de MG, norte do RJ, ES e sul da BA.

TSM -INPE
Temperatura de Superfície do Mar

Nesta terça-feira (30/01), a Zona de Convergência do Atlântico Sul (ZCAS), deixa o dia com muitas nuvens e pancadas de chuva, que localmente devem ser de forte intensidade, acompanhadas de descarga elétricas, rajadas de vento e acumulados expressivos entre o RJ, sul do ES, centro-sul e oeste de MG, Centro-Oeste e parte da Região Norte. Ocorrerão pancadas de chuvas isoladas também em pontos do MA, PI, CE e RN, principalmente a partir da tarde. No litoral de SP, incluindo a capital paulista, o dia estará encoberto e com chuva em pontos isolados.

PROJEÇÕES FUTURAS (07/02), RIO VOADOR (ZCAS)

PROJEÇÕES FUTURAS (31/01), RIO VOADOR (ZCAS)

Imagens inéditas da zona de convergência, (ZCAS – Zona de Convergência do Atlântico Sul) sobre o país, causando tempestades severas nesta noite em (30/01), entre RJ (norte do estado), MG e ES, associado a depressão subtropical na costa do Sudeste.

INMET-CHUVAS INTENSAS -ZCAS

REGIÃO SUDESTE

Área afetada para 63 municípios do RJ, Subtropical:
Costa Verde, Baixadas Litorâneas, Metropolitana Do Rio De Janeiro, Norte Fluminense, Médio Paraíba, Centro Sul Fluminense, Serrana Fluminense;

Área afetada para 66 municípios do ES, norte do estado, ZCAS:
Serrana Capixaba, Metropolitana de Vitória, Litoral Sul Capixaba, Central Sul/Caparaó Capixaba, Rio doce Capixaba, Centro-Oeste Capixaba, Noroeste Capixaba;

Área afetada para 241 municípios de SP e MS:
Leste Sul-Mato-Grossense, Bauru/Araraquara/Piracicaba, Ribeirão Preto, Araçatuba/São José do Rio Preto, Presidente Prudente/Marília/Assis, Centro Norte Sul-Mato-Grossense;

Área afetada para 16 municípios de SP (litoral):
Vale do Paraíba/Litoral Norte, Metropolitana de São Paulo, Litoral Sul/Baixada Santista/Vale do Ribeira;

Área afetada para 457 municípios de SP e MS, divisa com PR:
Leste Sul-Mato-Grossense, Campinas, Bauru/Araraquara/Piracicaba, Itapetininga, Ribeirão Preto, Araçatuba/São José Do Rio Preto, Sorocaba/Bragança Paulista, Vale do Paraíba/Litoral Norte, Metropolitana de São Paulo, Litoral Sul/Baixada Santista/Vale do Ribeira, Presidente Prudente/Marília/Assis, Sul e Sudoeste Sul-Mato-Grossense, Pantanal Sul-Mato-Grossense, Centro Norte Sul-Mato-Grossense, Serra Da Mantiqueira;

Área afetada para 167 municípios de MG divisa com SP:
Triangulo Mineiro/Alto Paranaíba, Oeste Mineiro, Sul/Sudoeste Mineiro;

Área afetada para 101 municípios de SP:

Campinas, Ribeirão Preto, Araçatuba/São José Do Rio Preto, Sorocaba/Bragança Paulista, Vale do Paraíba/Litoral Norte, Serra Da Mantiqueira;

CENTRO OESTE

Área afetada para 549 municípios do MT, DF, GO, RO e TO:
Distrito Federal, Sudoeste Rondonense, Alto Madeira, Centro Sul Mato-Grossense, Nordeste Mato-Grossense, Norte Mato-Grossense, Sudeste Mato-Grossense, Sudoeste Mato-Grossense, Centro Goiano, Leste Goiano, Sul Goiano, Norte Goiano, Noroeste Goiano, Jalapão, Norte Tocantinense, Sudeste Tocantinense, Sul Tocantinense, Oeste Tocantinense, Centro Tocantinense, Sudeste Rondonense;

Área afetada para 13 municípios de MT divisa com Paraguai:
Sul e Sudoeste Sul-Mato-Grossense, Pantanal Sul-Mato-Grossense;

NORTE

Área afetada para 195 municípios de PA e AP:
Nordeste Paraense, Sudeste Paraense, Marajó, Baixo Amazonas, Metropolitana De Belém, Sul e Norte do Amapá, Oeste Maranhense, Leste Maranhense, Norte Maranhense, Centro Maranhense;

NORDESTE

Área afetada para 585 municípios do RN, PB, CE, PE, PI:
Sul e Cariri Cearense, Cariri e Seridó Paraibano, Sudeste Piauiense, Centro-Norte Piauiense, Sudoeste Piauiense, Norte Piauiense, Norte Cearense, Noroeste Cearense, Centro Sul Cearense, Metropolitana de Fortaleza, Central Potiguar, Oeste Potiguar, Leste Potiguar, Agreste Potiguar, Sertão Paraibano, Agreste e Brejo Paraibano, Sertão Cearense, Jaguaribe Cearense, Sertão de Pajeú e do Araripe Pernambucano;

ACUMULADOS DE CHUVAS, risco potenciais:
Chuva entre 30 a 60 mm/h ou 50 a 100 mm/dia. Risco de alagamentos, deslizamentos de encostas, transbordamentos de rios, em cidades com tais áreas de risco;

Instruções:
– Evite enfrentar o mau tempo;
– Observe alteração nas encostas;
– Se possível, desligue aparelhos elétricos e quadro geral de energia;
– Em caso de situação de inundação, ou similar, proteja seus pertences da água envoltos em sacos plásticos;
– Obtenha mais informações junto à Defesa Civil (telefone 199) e ao Corpo de Bombeiros (telefone 193);

RAJADAS DE VENTOS, instruções:
– Não se abrigue debaixo de árvores, pois há risco de queda e descargas elétricas e não estacione veículos próximos a torres de transmissão e placas de propaganda;
– Se possível, desligue aparelhos elétricos e quadro geral de energia;
– Obtenha mais informações junto à Defesa Civil (telefone 199) e ao Corpo de Bombeiros (telefone 193);

TEMPESTADES, Riscos Potenciais:
– Chuva entre 30 e 60 mm/h ou 50 e 100 mm/dia, ventos intensos (60-100 Km/h), e queda de granizo. Risco de corte de energia elétrica, estragos em plantações, queda de árvores e de alagamentos;

Instruções:
– Em caso de rajadas de vento: (não se abrigue debaixo de árvores, pois há risco de queda e descargas elétricas e não estacione veículos próximos a torres de transmissão e placas de propaganda);
– Se possível, desligue aparelhos elétricos e quadro geral de energia;
– Obtenha mais informações junto à Defesa Civil (telefone 199) e ao Corpo de Bombeiros (telefone 193);

Predições/Estimativas da semana (algumas modelagens podem se antecipar ou declinar por divergências):

Segunda-feira (29/01), áreas de instabilidade provocarão pancadas de chuva, as quais localmente deverão ser de forte intensidade em grande parte de SP, Triângulo Mineiro e sul de MG e algumas regiões do RJ. A partir da tarde até a madrugada são esperadas chuvas volumosas que deverão vir acompanhadas de rajadas de vento e descargas elétricas no Vale do Paraíba paulista, centro-sul do RJ, Costa Verde, Serrana, Niterói, São Gonçalo e Itaboraí. Começa a formação da depressão subtropical na costa do Sudeste sinalizado pela NOAA. Existe risco para a população devido aos grandes volumes de chuvas;

=== ATENÇÃO ===

Terça-feira (30/01), chance para chuvas volumosas de 150 mm/h, acompanhadas de descargas elétricas e eventual queda de granizo associados ao calor e umidade. Existe risco para enchentes, inundações e deslizamentos de terra entre parte do Centro-Oeste,  SP, MG e RJ (Serrana Fluminense, noroeste e norte). A cidade do Rio de Janeiro (capital) terá a menor chance de chuvas volumosas, ficando somente para o litoral de forma isolada. O canal de umidade, ZCAS, avança para o mar na costa do Sudeste. Área de baixa pressão de características subtropicais ,”depressão”, sinalizado pela agencia NOAA, poderá contribuir para tempestades entre o RJ (norte e noroeste) e ES devido a rotação no mar;

PS: Na cidade do RJ, no período da tarde a condição para temporais de forma isolada entre as regiões sul do estado, Costa Verde, Serrana, Norte e Noroeste Fluminense devido a ZCAS e da depressão no mar. Chuvas intensas associadas às linhas de instabilidade (LI) podem produzir SCM (sistema convectivo mesoescala) ou CCM (complexo convectivo mesoescala) com possíveis impactos sobre as regiões do Sudeste (SP, MG e ES). Maior chance para tempestades no período da tarde e Centro-Oeste.  Virá acompanhada de chuvas intensas, descargas elétricas, vendavais de 100 km/h e queda de granizo associados ao calor e umidade. Os modelos são unânimes, ZCAS (muito forte);

==== ATENÇÃO ====

Quarta-feira (31/01), áreas de instabilidades se intensificam a associada a formação da (ZCAS – Zona de Convergência do Atlântico Sul), o rio voador. Área de baixa pressão com 1004 hPa em parte do Centro-Oeste e Sudeste poderá contribuir para tempo severo acompanhado de chuva muito forte, descargas elétricas, vendavais de 100 km/h e queda de granizo associada a zona de convergência. Modelos GFS e ECMWF divergem, área de baixa pressão de superfície, depressão subtropical começa entrar em dissipação e a ZCAS avança para o mar;

PS: As regiões do norte, noroeste e Serrana Fluminense poderão sofrer com chuvas fortes devido a ZCAS ( Zona de Convergência do Atlântico Sul), associada a área de baixa pressão de superfície de características subtropicais que poderá causar impactos  interior do estado devido a rotação do ciclone no mar, entra em dissipação;

Quinta-feira (01 e 02/02), o sol deverá voltar na capital do RJ, no período da tarde e existe chance para chuvas isoladas na parte litorânea devido a passagem do cavado de superfície que poderá causar chuvas moderada a forte pelo interior do RJ, entre as regiões do sul do estado, capital na parte litorânea, Costa Verde, Serrana, norte e noroeste;

Sexta-feira (02/02),  ZCAS  avança para ES até o final da tarde deste dia, mesmo assim são esperadas chuvas volumosas entre as regiões Serrana, Niterói, São Gonçalo, dos Lagos, Noroeste e Norte do RJ até a madrugada do dia 03/02;

Sábado (03/02), linhas de instabilidades deverão se intensificar para parte do Nordeste da BA, ES e interior de MG, com possíveis impactos associadas ao canal de umidade (ZCAS – Zona de Convergência do Atlântico Sul) que avança para o mar. Modelos indicam o regresso da ZCAS para o Sudeste. Deve-se manter as condições de chuva, talvez de forma fraca a moderada no RJ, no período da tarde deste dias.  As modelagens indicam nova área de baixa pressão entre 1005 hPa na costa da BA e ES associada a ZCAS. Divergência de alguns modelos GFS, NAVAGEM e ECMWF, indicam novo centro de baixa pressão de superfície que poderá causar impactos sobre MG e ES devido as chuvas volumosas;

Sábado (03/02), ZCAS avança para o mar e nova área de baixa pressão com 1003/1006 hPa sobre os estados entre BA, ES e MG poderá causar impactos sobre estas regiões, podendo vir acompanhada de chuva forte, descargas elétricas, vendavais de 100 km/h e queda de granizo;

Domingo (04/02), o corredor de umidade volta a se alinhar com o sudeste.  Risco para enchentes, inundações, transbordamentos de rio e possivelmente deslizamentos de terra, devido a formação de outra área de baixa pressão sobre estas regiões. Muitas divergências nos modelos GFS e ECMWF. Nota-se nova área de baixa pressão entre a BA, ES e RJ, entre o mar e o continente. São esperadas chuvas volumosas entre os estados, bem como as regiões norte e noroeste Fluminense e região dos Lagos. O fluxo de leste umidade do mar deverá contribuir para chuvas moderadas e intensas na baixada litorânea e serrana Fluminense com possíveis impactos nestas regiões;

=== ATENÇÃO ===

 Segunda-feira (04/05/06/02), projeções futuras, indicam a formação de nova área de baixa pressão de superfície, a princípio com 1008/1006 hPa e eventual  subtropical, deverá ser acompanhado pelo órgão responsável da Bacia. As projeções indicam a volta da ZCAS ( Zona de Convergência do Atlântico Sul) para o Sudeste, com possíveis impactos sobre estas localidades. Não se descarta chance para alagamentos, transbordamentos de rio, enchentes e deslizamentos de terra. Divergências dos modelos ECMWF, GFS e CMC;

As informações prestadas acima estão sujeitas a atualizações nos próximos dias.

Colaboração do Prof. Douglas V. O. Lessa Paleontólogo do Clima
Fonte de pesquisa: NOAA (Administração Nacional Oceânica e Atmosférica), GFS, GEM, NAVAGEM, CMC, INMET, INPE (BRAMS), Windy, Tempo.pt e Marinha do Brasil.

Deixe uma resposta