Coluna Estante

Pedagogia da autonomia:

Saberes necessários à prática educativa (Editora Paz e Terra): O educador Paulo Freire é um nome conhecido no Brasil. Neste livro, ele explica e argumenta sobre a necessidade de o professor ter uma prática pedagógica em relação à autonomia de saber e de ser do aluno. Para o autor, o professor tem que se conscientizar de que o aluno traz de casa uma história e um conhecimento empírico que precisam ser respeitados, já que o estudante é um sujeito social e histórico. Para Freire, “formar é muito mais do que puramente treinar o educando no desempenho de destrezas”. Esta obra foi a última publicada por ele em vida.

 


O labatruz e outras desventuras (Editora Quatro Cantos):

Destinado ao público juvenil, este livro aborda difíceis temas. A escritora Judith Nogueira faz uma trilogia de contos: o primeiro, “O labatruz”, aborda a solidão; o segundo é “O construtor de navios” e trata sobre a frustração; o terceiro é “O homem que fazia luz” e trata sobre a finitude. O livro de Judith é uma daquelas obras que crianças e adolescentes podem ler, mas que o adulto também se vê envolto na teia da narrativa. “O labatruz e outras desventuras” conquistou em 2016 um dos mais importantes prêmios literários do Brasil, o Jabuti, na Categoria Juvenil. Judith não escreve somente para o público infanto-juvenil. Ela é autora de livros como “Memórias de uma envelhescente”, destinada aos maiores de 40 anos.


Água de Barrela:

A jornalista Eliana Alves Santos Cruz conta no seu romance “Água de Barrela” a história de uma família que começa em 1849 e segue até os dias de hoje.

A narrativa inicia quando dois membros do mesmo clã (eles são cunhados), Akin Sangokunl (que ao chegar ao Brasil é rebatizado como Firmino) e Ewa Oluwa (Helena) são capturados como escravos e levados para o Recôncavo Baiano, a uma fazenda açucareira. A história começou a ser escrita por Eliana depois de conversar com sua tia- avó do lado paterno, que tem 90 anos. Diagnosticada como esquizofrênica, a tia-avó falava de seus antepassados, despertando o interesse de Eliana. A autora então foi conferir com historiadores baianos a veracidade dos fatos, que foram confirmados. A partir daí, construiu sua narrativa mostrando o percurso da família, que passa pelos séculos XIX, XX e XXI. O livro traz uma forma diferente de contar a história do Brasil.

Os narradores são escravos e descendentes de escravos, e é mostrada a trajetória dos fluxos dos escravos, o Segundo Reinado, o tráfico negreiro, chegando aos nossos dias atuais. Com o romance, a jornalista tirou o primeiro lugar no concurso literário promovido pela Fundação Cultural Palmares, vinculada ao Ministério da Cultura. Ela foi agraciada em 2015 com o I Prêmio Oliveira Silveira. A Fundação Cultural Palmares e o Minc estão realizando lançamentos nas principais capitais brasileiras (Brasília, Rio de Janeiro, Salvador, João Pessoa e São Paulo) e distribuindo os livros nestes lançamentos. Como primeira colocada, Eliana foi convidada pelo Ministério das Relações Exteriores para integrar a delegação brasileira na Feira Internacional do Livro de Guadalajara, realizada no final do mês de novembro e início de dezembro do ano passado. Por enquanto, o livro pode ser adquirido através da Fundação Palmares, mas a partir de 2018 a obra já poderá ser lançada por alguma editora nacional. Eliana está em negociação com algumas editoras. Maiores informações: biblioteca@palmares.gov.br

Artigo anteriorColuna Caleidoscopio
Próximo artigoCentral de Negócios estimula a cultura da cooperação

Carla Giffoni: Jornalista, escritora e roteirista.
Atuando há 20 anos como jornalista nas Editorias dePolítica, Polícia, Economia, Cultura e Cidades, em revistas, jornais, sites e emissora de TV, entre eles:
Tribuna da Imprensa, Revista Menorah, repórter do Portal de Notícias SolidáRio, TV Bandeirantes (BM), jornal A voz da Cidade, Rádio do Comércio. Colaboradora do roteirista José Carvalho no filme “Vidas partidas”; colaboradora do roteirista Doc Comparato para o projeto “Peritos da Verdade”. Pós-graduada em Jornalismo Cultural e em Roteiro para Cinema e TV (UVA); graduada em Comunicação Social – habilitação em Jornalismo – e
também em Letras/Formação de Escritor (PUC-RJ).

COMPARTILHAR