Começa o equinócio primavera em Virgem que marcam a entrada da estação

A Primavera começou no dia 22 de setembro, sexta-feira, às 17h02 (horário de Brasília). Neste dia ocorre o segundo equinócio do ano: quando o dia e a noite têm a mesma duração. As estações do ano são fenômenos naturais e ocorrem por causa da inclinação do eixo da Terra em relação ao plano de sua órbita em torno do Sol.

A maneira como os raios solares incidem nos hemisférios marca as estações do ano e, além da temperatura, um dos efeitos que as evidenciam é a variação dos comprimentos dos dias, ou seja, a quantidade de tempo que o Sol fica acima do horizonte. “Esse efeito praticamente não existe nas regiões próximas do equador terrestre e é cada vez mais evidente quanto mais nos afastamos do equador terrestre”, explica Josina. Agora, no início da Primavera, os dias terão o mesmo comprimento das noites e, no hemisfério sul, os dias vão ficando cada vez maiores e as noites cada vez menores, até o maior dia do ano que ocorre no início do Verão, sendo este ano no dia 21 de dezembro às 13h28, hora de Brasília.

O Aglomerado Virgem é um aglomerado massivo de galáxias que dominam o Superaglomerado Virgo. Existem cerca de 2.000 galáxias nesse aglomerado (embora cerca de noventa por cento dos mesmos sejam galáxias anãs). Este possui um diâmetro de aproximadamente 15 milhões de anos-luz e que não é muito maior do que nosso, porém contém cinquenta vezes o número de galáxias. Este mapa mostra 600 das mais brilhantes galáxias contidas em 7.5 graus do centro do aglomerado – e isso é uma fronteira arbitrária, existem muitas outras galáxias além desse limite, especialmente mais ao sul do aglomerado onde existem vários grupos de galáxias adicionais. As 160 maiores galáxias estão apontadas neste mapa.

O mundo fantástico que se esconde por detrás do corpo da constelação virginal: o Aglomerado de Galáxias em Virgem.

Este é o mais famoso aglomerado de galáxias. É bem maior do que qualquer outro grupo dentre 100 milhões de anos-luz. Existem cerca de 150 grandes galáxias nesse aglomerado e, pelo menos, mil conhecidas galáxias anãs. Este aglomerado domina completamente nosso pequeno pedaço do Universo e até nosso grupo Local de galáxias vem sendo gravitacionalmente atraído por este aglomerado. No centro do aglomerado Virgo, encontram-se três grandes galáxias elípticas: M84, M86 e M87. Estas galáxias provavelmente se formaram a partir da fusão de muitas galáxias menores e são bem mais massivas do que nossa própria galáxia.

Lua aos pés da Virgem contando sobre o mundo fantástico que se esconde por detrás do corpo virginal. Observe que a constelação Virgo, a Virgem, é realmente bem grande e, dessa maneira, percebemos que a Lua demora cerca de três a quatro dias para visitar a cabeça, os ombros, o tronco e os braços e ainda as mãos, as pernas e os pés, é a Virgem sendo detalhadamente visitada, da cabeça aos pés, literalmente!

Neste primeiro final de semana de Primavera no hemisfério sul, os planetas Júpiter e Saturno, a Lua com luz Cinérea e a Luz Zodiacal irão dar o show no céu no início da noite. O brilhante planeta Júpiter está se despedindo do céu do anoitecer. Júpiter é o quarto astro mais brilhante do céu, só perdendo para o Sol, para a Lua e para o brilhante planeta Vênus, que neste momento está dando o show com a Lua no final da madrugada.
Júpiter está na constelação de Virgem, ao lado da estrela Spica (Alpha Virginis), a estrela representada na Bandeira do Brasil acima da inscrição Ordem e Progresso.

Em outubro de 2017, Spica e Júpiter não poderão mais ser observados no céu por causa do movimento de translação da Terra ao redor do Sol. Júpiter entra em Conjunção com o Sol no dia 26 de outubro. Júpiter está baixando no céu a oeste no início da noite e Saturno está em cima de sua cabeça no início da noite na constelação de Ofiúco, a 13º constelação zodiacal. Ofiúco é a única das 88 constelações celestes que é cortada por uma constelação, a constelação da Serpente. A Lua com Luz Cinérea irá abrilhantar o espetáculo do primeiro final de semana da primavera.

Sobre a Luz Cinérea:
Quando a Lua aparece como um fino crescente no céu durante o crepúsculo, podemos muitas vezes observar que o resto do seu disco também brilha atenuamente. A este fenômeno chamamos luz cinérea e deve-se à reflexão da luz solar pela Terra, que ilumina por sua vez a superfície lunar. Depois de refletida pela Terra, as cores da radiação, que aparecem como um arco-íris na imagem, modificam-se de maneira significativa. Ao observar a luz cinérea, os astrônomos podem estudar as propriedades da radiação refletida pela Terra como se esta fosse um exoplaneta e procurar sinais de vida. A radiação refletida também se encontra altamente polarizada e o estudo desta polarização, assim como da intensidade das diferentes cores, permite testar de modo muito sensível a presença de vida.

No domingo, 24 de setembro, a Lua Cinérea estará iluminada 21% e ao lado da estrela Zuben Elbkrab, com magnitude +3,9. Esta estrela é a menos brilhante do “Quadrilátero de Libra”. O Quadrilátero de Libra é formado pelas estrelas Zubenelgenubi (Mag +2,7), Zubeneschamali (Mag +2,9), Brachium (Mag +3,2) e Zuben Elakrab (Mag +3,9). Logo no início da noite será fácil de localizar Saturno (Mag +0,5) que está no alto do céu, o planeta dos anéis está brilhando mais que a estrela vermelha Antares (Alpha Scorpiii) e irá aparecer como um ponto brilhante amarelado no céu no início da noite. Saturno está na constelação de Ofiúco, a 13º constelação zodiacal. Não confunda Saturno com a estrela vermelha Antares (Alpha Scorppi), a estrela mais brilhante da constelação de Escorpião. Saturno tem coloração alaranjada e o planeta dos anéis está em evidência por causa da histórica Missão Cassini que explorou Saturno, suas luas e anéis por 13 anos. As 4 Luas Galileanas estarão visíveis com lunetas e telescópios neste final de semana e no sábado, 23 de setembro a Grande Mancha Vermelha (GMV) de Júpiter estará visível no início da noite.

Créditos: ESO/L e CARJ (Club de Astronomia do Rio de Janeiro).