Comunidade Judaica internacional repudia a revista alemã que colocou Trump, na capa, em saudação nazista

foto Reprodução

A revista alemã Stern retratou o presidente americano em saudação nazista; o Centro Simon Wiesenthal afirmou que “os alemães certamente devem saber que ao apropriar indevidamente os símbolos nazistas, eles depreciam e trazem de volta os crimes do passado; O Centro Wieshenthal também criticou Trump diante dos recentes protestos nazistas.

A cobertura desta semana de uma popular revista de notícias alemã, que retratou o presidente dos EUA, Donald Trump, em saudação nazista atraiu duras críticas de grupos judaicos. A ilustração da Stern traz a capa “Sein Kampf”, que traduzido significa ” Sua luta” e é uma cópia do infame “Mein Kampf” de Adolf Hitler.  Ele vem como consequência da onda de reação  que Trump enfrentou, por não denunciar os nazistas, antissemitas, racistas e supremacistas brancos em Charlottesville no início deste mês.

O Centro Simon Wiesenthal, com base em Los Angeles, declarou que tem sido sincero em criticar o presidente Trump, por ele não ter feito uma distinção entre nazistas, manifestantes KKK e aqueles que se opuseram a eles, mas afirmou que “a representação do presidente como Hitler, por uma grande publicação alemã, é errada”.

O Centro declara que “os alemães devem certamente saber que ao apropriar indevidamente símbolos nazistas, eles estão se depreciando e trazendo crimes do passado de volta”.

Trump denunciou aqueles que participaram da reunião de Charlotteville, incluindo aqueles que cantavam “os judeus não nos substituirão”. No entanto, o presidente americano seguiu dizendo que “pessoas muito boas estavam em ambos os lados das manifestações”, que atraíram neonazistas, nacionalistas brancos e membros do Ku Klux Klan.

Durante as manifestações uma mulher foi morta, após um nacionalista branco atropelar centenas de pessoas.