Cooperativa de jornalistas e UCB firmam convênio

Esquerda para Direita: Telson Pires (Pro- Reitor), o Vice-reitor Leomar Valença, e Diego Ventura (Jornalista). Fotos Paulo Araújo

Do Solidário, por Paulo Araújo

Publicado 02 de Dezembro de 2016

Repensar o modelo de negócio de comunicação neste cenário novo e caótico – e principalmente exercer o jornalismo com ética e credibilidade – foram temas debatidos por mais de um ano entre os cooperativados. O Portal, ora lançado, contudo, sempre estará em constante desenvolvimento.

Com sede estabelecida nas dependências da Universidade Castelo Branco (UCB), no Centro do Rio, a Cooperativa de Jornalistas do Rio de Janeiro nasce pautada em trabalhar a gestão do conteúdo editorial – em suas mais diversas plataformas e linguagens – em  sinergia com a expertise acadêmica da UCB. O desafio é sem precedentes, mas o mercado das cooperativas no Brasil lança uma luz positiva ao projeto.

De acordo com estudo feito pela Organização das Cooperativas Brasileiras (OCB), o modelo cooperativista já alcança mais de 1 bilhão de pessoas no mundo. Uma em cada sete pessoas no Planeta é associada a uma cooperativa, revela a Aliança Cooperativa Internacional (ACI). Ainda segundo o estudo, hoje, as cooperativas estão presentes em mais de 100 países e geram mais de 100 milhões de empregos.

No Brasil, o movimento é representado nacionalmente pelo Sistema OCB, composto da Organização das Cooperativas Brasileiras. Dados da OCB demonstram que o número de associados a cooperativas representa hoje 5,7% da população brasileira. Se somadas as famílias dos cooperados, estima-se que o movimento cooperativista agregue hoje.

O Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC) divulgou, no início de 2015, os números das exportações brasileiras incluindo a produção das cooperativas. Em 2014, as cooperativas brasileiras exportaram US$ 5,2 bilhões. Um superávit na balança comercial no valor de US$ 4,8 bilhões, em relações comerciais junto a 143 países.

De acordo com a OCB, 223 unidades cooperativas exportadoras, distribuídas em 19 Unidades da Federação, são os principais produtores. A Constituição Federal de 1988, garante a independência da gestão e a não interferência do Estado nas cooperativas. A Legislação determinação de apoio e estímulo ao cooperativismo, a previsão do adequado tratamento tributário ao ato cooperativo e a definição da autonomia das sociedades cooperativas.

Os números do mercado de cooperativas e a sinergia com a UCB, são vistos de forma otimista pelo presidente da Cooperativa de Jornalistas-RJ, fotógrafo Paulo Araújo.

“Como apoio logístico, temos a participação direta de uma grande universidade (UCB), que poderá se tornar um cliente potencial, na área de serviços de assessoria, e outras frentes de trabalho que possam surgir”, salientou.

Para Paulo, a UCB irá ajudar no aperfeiçoamento técnico dos profissionais da Cooperativa e, por sua vez, os estudantes de Comunicação Social ganharão um ambiente de expertise da práxis jornalística.

“Esta parceria também pode nos presentear com bolsas de estudos, para a realização de cursos para a reciclagem da equipe, e proximidade com outros saberes. Além da aproximação com os parceiros da UCB, tais como Supermercado Guanabara, Light, Viva Rio, prefeituras do interior do Estado, e outros parceiros”, ressaltou.

Segundo o professor Telson Pires, da UCB, “A Cooperativa de jornalistas, e o Portal SOLIDÁRIO são uma iniciativa empreendedora, e uma realidade, em um momento em que o jornalismo passa por transformações. O portal SOLIDÁRIO começa sua caminhada de sucesso, congregando grandes nomes do jornalismo carioca e brasileiro. A Universidade Castelo Branco sente-se honrada em poder participar desse projeto, e de outros que estamos construindo em parceria.”