Cooperativas e escolas discutem resultados de pesquisa de avaliação do Cooperjovem

Grupos de Estudos Pedagógicos do SESCOOP/SC ocorreram em três regiões do Estado

Os Grupos de Estudos Pedagógicos (GEP), realizados pelo Serviço Nacional de Aprendizagem do Cooperativismo de Santa Catarina (SESCOOP/SC) em três regiões do Estado no mês de maio, reuniram 23 cooperativas e capacitaram 70 professores de escolas participantes do programa Cooperjovem. Os objetivos principais dos eventos, que aconteceram no Vale do Itajaí, no Oeste e no Sul, foram discutir os resultados da pesquisa de avaliação do Cooperjovem em 2016 e traçar metas para 2017.

Durante a capacitação, professores e coordenadores do programa nas cooperativas parceiras puderam entender, por meio de questionários preenchidos, como a comunidade escolar está percebendo o Cooperjovem, e os resultados que têm sido alcançados, com objetivo de usar tais dados como ponto de partida de melhoria contínua. A partir da identificação dos resultados, as escolas constroem um plano de metas para 2017, a fim de aprimorar ou melhorar os pontos indicados pela pesquisa.

O coordenador do programa no Sicoob Crediaraucária, João Frischembruder, participou do evento no Vale do Itajaí e contou que a capacitação possibilita pensar em soluções mais efetivas para os problemas da escola. “Temos uma escola no Cooperjovem que está conosco há três anos. Percebemos que os dois primeiros anos são para formar uma base e não temos uma ideia exata do que estamos conquistando. Mas agora, no terceiro ano, os resultados já são mais visíveis e mais práticos. O GEP nos dá um norte para as próximas ações”, destacou.

A Coopervil, participante do GEP no Oeste, também está colhendo bons frutos com a escola que participa do programa desde 2014. De acordo com Suzana Araldi, coordenadora do programa na cooperativa, no GEP é possível esclarecer dúvidas sobre as avaliações e, até mesmo, comparar os resultados com as escolas da região: “A troca de experiência faz refletir e é muito produtiva”.

Esse também é o sentimento da coordenadora do Cooperjovem na Cooperja,Elisabete Santos, que participou do GEP no Sul. “O GEP nos proporciona uma troca de vivência entre as escolas. Sempre é valido analisar a caminhada, ver os erros e acertos e, assim, com eles poder dar um melhor direcionamento ao Projeto Educacional Cooperativo (PEC) que está sendo desenvolvido nas escolas”, reforçou.

Fonte: Assessoria de Comunicação Interna Ocesc – Sescoop/SC