Crossdresser

Tathi foi entrando de maneira triunfal, lembrando a Jéssica Rabbit, com um vestido vermelho longo aberto na lateral e batom combinado exibindo os lábios carnudos, contrastando com sua aparente preocupação.

Tathi foi entrando de maneira triunfal, lembrando a Jéssica Rabbit, com um vestido vermelho longo aberto na lateral e batom combinado exibindo os lábios carnudos, contrastando com sua aparente preocupação. Sentou e foi logo exibindo a foto do marido, para tristeza do detetive. Foi logo descrevendo seus trejeitos, suas manias e que sempre saia com um chapéu panamá à noite. Dizia que sentia muito frio no couro cabeludo. E ainda esclareceu:

– Doutor, acho que meu marido está me traindo! Quero que você siga ele e quero saber todas as informações, por mais pérfida que seja!

Impassível com o choro da mulher a sua frente, puxou a foto para perto de seus olhos, colocou-a em seu bolso, ajeitou a camisa, acendeu um cigarro preto e logo após, falou de forma incisiva:

– Pode deixar comigo, bebe! Missão dada é missão cumprida.

Enxugando os olhos verdes, engoliu o choro e se levantou satisfeita e com ar de resignada, sai da mesma forma que chegou.

Uma semana depois, ela recebe o telefonema do detetive, que já daria sua primeira prestação de contas:

– Minha linda, seu marido passa boa parte da noite na boate Toca do Tatu.

– Meu Deus! Não!

– Mas não se desespere…tem a parte boa e a ruim.

– Boa e ruim? …me fale a boa.

– A boa é que ele não está com nenhuma mulher.

– Graças a Deus! E a ruim?

– A ruim é que ele se veste de mulher…

– Meu Deus! …E sozinho?

– Sozinho.

Ela agradeceu e falou que acertaria no dia seguinte. Depois que desligou, não conseguiu digerir a informação direito e ligou para sua melhor amiga Letícia. Letícia sempre foi sua confidente e amiga desde a 5ª série. Ouvindo seu drama mais recente, dá um conselho inusitado.

– Amiga, Ele não está te traindo, mas está revelando uma tara que acha que não consegue revelar para você. Você ama ele?

-Sim.

– Eu acho que você podia fazer uma surpresa para ele. Que tal você vestir as roupas dele? Você mostra que entende a situação dele, sem precisar discutir nada. Vocês se aproximam e tem uma noite de amor na sala e tudo fica bem novamente, que tal?

-Será?

– Vai por mim amiga. Vai ser mágico!

À noite chega e na hora que o marido chega, encontra a mesa de jantar arrumada com candelabros e uma comida refinada. De repente, ouve o som de Jean Francois Maurice e Maryse com La Rencontre ao fundo e subitamente surge a esposa toda vestida com um terno escuro, bigode falso e um perfume masculino amadeirado. Ela vai dançando misturando sensualidade e algo que viu na internet, tentando não ser muito feminina. O marido com a boca aberta não consegue dar um pio e ela estimulada por isso, continua seus movimentos, quando o seu celular tocou. Ela atendeu, com voz masculina, já incorporada no personagem.

– Alô!

E do outro lado:

– Bebe, se quiser pegar seu marido no flagra, ele está aqui na boate agora e ainda não trocou de roupa. Pega ele no flagra!

Ela desliga. Olhou para o marido e para não entrar debaixo da mesa e chorar, emendou logo:

– Que tal uma disputa de queda de braço?