Em Salvador, mulheres são maioria nos atendimentos por embriaguez

Por Sayonara Moreno/EBC

Publicado em 28 de Fevereiro de 2017

Apesar da queda no número de atendimentos por consumo excessivo de álcool nos circuitos de Salvador, as mulheres continuam sendo maioria na procura pelos postos de assistência à saúde, instalados próximo dos locais de folia. Segundo a prefeitura de Salvador, os postos registraram 379 ocorrências por embriaguez, até as 6h da manhã de hoje (27), o que representa queda de 11,7% em relação ao mesmo período do carnaval do ano passado, que registrou 429 casos.​

As mulheres correspondem a 53% no total de pessoas atendidas por embriaguez. A Secretaria Municipal de Saúde atribui o índice maior de mulheres à preferência pelas bebidas adocicadas, que tendem a ter maior teor alcoólico e contribuem para acelerar o processo de alcoolemia e de intoxicação.​

O mito de que o organismo das mulheres é menos resistente ao álcool que o dos homens foi derrubado e explicado pelo coordenador Hospitalar e de Urgência de Salvador, José Antônio Alves. Segundo Alves, não existe essa diferença entre os sexos. Para Alves, a diferença “está nos hábitos adotados por cada um, como a escolha da bebida e a frequência com que se consome bebida alcoólica”.​

“O que pode ocorrer é que o fígado daquela pessoa, homem ou mulher, que bebe com mais frequência, acaba por desenvolver uma capacidade maior de metabolizar o álcool ingerido. E é claro que as bebidas mais fortes vão ter o potencial de levar o indivíduo ao estado de embriaguez com mais rapidez”, esclarece o médico.