Fábrica de Treinadores

Tite era um ilustre desconhecido técnico do Veranópolis, quando veio ao Rio fazer o Curso de Formação de Treinadores da ABTF.(Lucas Figueiredo/CBF)

Por Kleber Vieira

Publicado em 08 de Janeiro de 2017

Há 34 anos, a Associação Brasileira de Treinadores de Futebol, ABTF, capacita técnicos do Brasil e do exterior para dirigir equipes, desde a base até as profissionais. No último dia 4, iniciou-se, nas dependências da Faetec Quintino, o Curso Nível C, para quem quer atuar nas divisões de base (Sub 13 a Sub 20). As aulas teóricas e práticas vão até o próximo dia 18.

Os cursos da ABTF são os de maior carga horária e com professores de altíssima qualificação, o que garante a excelência na formação. Pelos bancos da ABTF passaram nomes como Tite (Seleção Brasileira), Zé Ricardo (Flamengo), Jorginho (ex-Vasco), Cristóvão Borges (Vasco), entre outros. Entre os instrutores estão campeões como Jair Pereira, Waldemar Lemos, Edu Coimbra, Altamiro Botino, os árbitros Sérgio Cristiano do Nascimento entre outros.

Frequentado por alunos do Brasil e de outros países, os cursos da ABTF têm atraído um público heterogêneo. Além dos profissionais do futebol, os de outras áreas, como jornalistas que atuam no esporte, também se interessam pelas aulas, que são de formação, mas também de informação sobre o chamado esporte bretão.

“Isso dá mais base ao profissional, em uma resenha esportiva, e principalmente, durante a transmissão de uma partida, o que evita comentários, às vezes equivocados, que ocorrem por total desconhecimento, sobre as funções de um treinador”, enfatiza Fernando Pires, diretor da ABTF, que defende a tese de que todos os envolvidos no futebol deveriam fazer cursos de informação que estivessem dentro de sua área de atuação.

Ex-jogador de Fluminense, Flamengo e de clubes do exterior, Fernando é um defensor ferrenho dos treinadores e da melhor qualificação profissional. Estudo teórico e prática são aliados, não antagônicos.

“É claro que a vivência em campo é um primordial, mas o futebol moderno não é como antigamente, em que o peladeiro era olhado e, de repente, se tornava um grande craque, ou um bom treinador, quando pendurasse as chuteiras. Hoje, quem não estuda, quem não se informa fica defasado em relação a um treinador de ponta”, assinala.

Na sala e no campo

A Turma Nível C, este ano, leva o nome do botafoguense Carlos Alberto Torres, capitão da Seleção Brasileira tricampeã mundial no México. Ele, que faleceu no ano passado, foi vice-presidente da Associação Brasileira dos Treinadores de Futebol.

“É uma justa homenagem a um dos maiores laterais que o futebol brasileiro já teve e um treinador vitorioso”, diz Fernando Pires.

Na abertura do Curso Nível C, na Faetec Quintino, as aulas de Análise de Desempenho foram com o Professor Marcelo Xavier. A palestra de Abertura com o treinador Jair Pereira e aulas de Arbitragem/Leis do Jogo com o árbitro Sérgio Cristiano do Nascimento, instrutor da Federação de Futebol do Estado do Rio de Janeiro.

Um pouco da história

Fundada nas dependências da Confederação Brasileira de Desportos (atual CBF), na histórica sede da Rua da Alfândega 70, durante a gestão do almirante Heleno Nunes, a Associação Brasileira dos Treinadores de Futebol teve como dirigente o campeão Flávio Costa, que dirigiu Flamengo, Vasco e Seleção Brasileira, entre outras equipes.

As aulas teóricas e práticas já ocorreram nas salas e campos Escola de Educação Física do Exército, na Urca, e do Centro de Educação Física Almirante Adalberto Nunes, Cefan, da Marinha, em Ramos. Hoje, a sede administrativa da ABTF fica na Rua Visconde de Inhaúma 134, 18º andar, no Centro.

O primeiro Curso de Informações Científicas e Técnicas de Futebol da ABTF foi realizado em 1982, no Cefan.

“Milhares de treinadores já foram capacitados pela ABTF, e são multiplicadores de conhecimentos. Eles passam a vida estudando para fornecer aos alunos o que há de melhor. Isso não tem preço. Quem proporciona conhecimento, merece todo o reconhecimento, mas muitas pessoas não dão o devido valor. A ABTF continuará proporcionando, como sempre fez, Cursos de Excelência”, finalizou Fernando Pires.

Arrow
Arrow
Jorginho - Campeão carioca pelo Vasco, Jorginho é outro ex-aluno bem-sucedido da ABTF (Divulgação/ABTF)
ArrowArrow
Slider