Gabriela: A cachaça multiplataforma de Paraty

Por Ricardo França (Enviado Especial)

Publicado em 10 de Fevereiro de 2017

PARATY – Quando a atriz Sônia Braga, o cineasta Bruno Barreto e grande elenco passaram por Paraty, cidade histórica localizada no sul do Estado do Rio, em 1983, para filmar cenas do longa metragem ‘Gabriela, cravo e Canela’, baseado no romance de Jorge Amado, não sabiam que, nos 33 anos seguintes às gravações, ainda estariam mudando a história de muita gente. E de Paraty.

Açucarada pela beleza e sensualidade de Sônia Braga, a personagem virou cachaça. Com gosto de cravo e canela. Produzida em alambiques da cidade – que dão à bebida o mesmo nome de batismo – Gabriela embriaga a estadia de turistas brasileiros e estrangeiros. E hoje é ingrediente de bombons, creps, cafés expressos, picolés, sorvetes cremosos, pizzas, e é ‘miscigenada’ com açaí, milho verde, coco, cerveja e vinho.

Em tempos de multiplataformas, a cachaça Gabriela se renova a cada ano, de forma artesanal, em pequenos, médios e grandes alambiques. Essas receitas diferenciadas, por exemplo, foram criadas pelo comerciante Wagner Duraes, 57 anos. Paulistano, é radicado há 18 anos em Paraty. Seus produtos, vendidos numa pequena birosca na Rua João Luiz do Rosário, 290, no bairro de Fátima, próxima ao Centro Histórico, são atrações turísticas e artigos de exportação.

“Tenho cientes do Leste Europeu, da Europa, dos EUA, Canadá, África e até Ásia, mas os meus clientes mais fieis são os europeus, como os franceses, ingleses e alemães. Já recebi propostas para trabalhar com a Gabriela na Índia, França, Espanha, Itália e EUA, mas eu amo Paraty”, revela, com orgulho, o comerciante. A Birosca do Wagner já foi pauta de reportagens de jornais da França e da Noruega.

E completa: “Adoro o que faço. Eu trabalho com alquimia. Consegui chegar a uma fórmula. Transformo cachaças brancas em cachaças doces. Além de exportar, abasteço os restaurantes, bares da cidade, hotéis e hostels da cidade e região”, conta Wagner, que tem a fórmula da ‘sua’ Gabriela tatuada no antebraço esquerdo. Um caso de amor.

O paratiense Gabriel Lúcio trabalha com venda de cachaça no bar e restaurante Sarau, no Centro Histórico. Ele compra a Gabriela do Bar do Wagner há cinco anos. “A cada dois dias os clientes consomem dez litros da Gabriela. Dá para sentir o sabor de todos os ingredientes: o cravo, a canela e o gengibre”, salienta.

ESCULTURA – “Gabriela é minha namorada!”, afirma, apontando para uma escultura de uma mulher em tamanho real, em fios de alumínio trançado, que ele diz ser ‘Gabriela’. A escultura foi feita por um artista plástico mineiro, que deixou guardada no bar e nunca mais apareceu. Perfeita, ela é alvo da cobiça de empresários, colecionadores e donos de pousadas da cidade. Mas Wagner não vende. “Não vendo de jeito algum. Ela tem sensualidade, expressão, sexualidade. É o meu amuleto. Pra mim ela é viva. Tem uma história”, acredita.

A ‘Birosca do Wagner’ decorada por ele, é simples, mas aconchegante. Há bandeiras da França, Inglaterra, Rússia, Portugal, e um Pinóquio de papel marchê, do Bloco Carnavalesco Cara de Pau, de Paraty e um jogo de dardos. Também há bananas verdes, um ‘filtro dos sonhos de um metro de comprimento, um tabuleiro de dominó, desenhos diversos e um quadro branco para assinaturas de viajantes.

Em um cantinho ele guarda o DVD do filme Gabriela, cravo e canela’. “É o meu santuário. Também fabrico os rótulos da minha produção e vendo a cachaça em diversos tipos de garrafas. Trabalho com couro, pintadas em metais, e revestidas com folhas de bananeira”, explica.

“A produção é na minha casa. Só preciso de fogo, água e os ingredientes… A base de cravo, canela e gengibre. A cachaça branca vem de alambiques de Paraty e de cidades mineiras, como São João Del Rei. Dizem que a cachaça Gabriela é afrodisíaca. Eu acredito”, finaliza.

LIVRO FOI ESCRITO EM 1958 POR JORGE AMADO

Gabriela é um longa metragem filmado em 1983, dirigido por Bruno Barreto e baseado no romance Gabriela, Cravo e Canela, de Jorge Amado, lançado em 1958. As cenas foram gravadas em Paraty, e em Garopaba, em Santa Catarina.

A história se passa na Bahia. Em 1925, uma retirante chamada Gabriela se muda para Ilhéus, devido a uma das maiores secas do Nordeste. Morena bela e sensual, ela é assediada por Nacib, comerciante, dono do bar mais popular da cidade.

Gabriela é contratada por Nacib e os dois acabam casando. Mas a baiana o trai. No desenrolar da trama, um coronel vai ser julgado por ter assassinado sua mulher e seu amante.

Elenco principal: Sônia Braga, Marcello Mastroianni, Antônio Cantafora,

Paulo Goulart, Ricardo Petraglia e Nicole Puzzi. Música de Tom Jobim.

SERVIÇO

Bar do Wagner: Rua João Luiz do Rosário, 290, no bairro de Fátima, próxima ao Centro Histórico, Paraty

Produto: Cachaça Gabriela e quitutes de vários sabores

Preços: Drinques variam de R$ 15 a R$ 25

Contatos para encomendas: 024-998617264 (Wagner) ou 24-99931-7015 (Thiago, Sócio)

 

Arrow
Arrow
gabriela 2
ArrowArrow
Slider