Grupo invade Prefeitura de Duque de Caxias para exigir contratação da mão de obra local .

Um grupo que a administração da Prefeitura de Duque de Caxias,na Baixada Fluminense, afirma ser de milicianosinvadiu a sede do Executivo Municipal nesta quinta-feira (26/10), para exigir que todas as vagas de empregos e postos de trabalho da Refinaria Duque de Caxias (Reduc), da Petrobras, sejam preenchidos somente por moradores do município e cidades vizinhas. O grupo que se autodenomina “Comissão de Desempregados da Reduc” teria cometido destruído o portão principal da prefeitura, quebrado vidros, janelas e portas e danificado computadores da sala de espera do gabinete do prefeito Washington Reis.

Invasão-de-manifestantes-na-sede-da-Prefeitura-de-Duque-de-Caxias-em-Jardim-Primavera-5.jpg

Grupo invade Prefeitura de Duque de Caxias para exigir contratação da mão de obra local

 

Um grupo que a administração da Prefeitura de Duque de Caxias,na Baixada Fluminense, afirma ser de milicianosinvadiu a sede do Executivo Municipal nesta quinta-feira (26/10), para exigir que todas as vagas de empregos e postos de trabalho da Refinaria Duque de Caxias (Reduc), da Petrobras, sejam preenchidos somente por moradores do município e cidades vizinhas. O grupo que se autodenomina “Comissão de Desempregados da Reduc” teria cometido destruído o portão principal da prefeitura, quebrado vidros, janelas e portas e danificado computadores da sala de espera do gabinete do prefeito Washington Reis.

Segundo a prefeitura, a exigência não pode ser atendida porque esta não é atribuição do governo municipal. Ainda de acordo com a administração, tem havido empenho na criação e geração de emprego e renda no município, com objetivo de melhorar a qualidade de vida dos moradores da cidade. Novas empresas têm sido atraídas para a cidade especialmente a partir de medidas importantes como o lançamento do alvará eletrônico, por exemplo, que desburocratiza a abertura de empresas e a entrega de alvarás em até 48 horas.

Os manifestantes ocuparam o prédio por mais de duas horas, o que ocasionou pânico de muitos servidores, que optaram por sair do local e aguardar o tumulto cessar abrigados no comércio local. Em nota, a PMDC ressaltou que não houve registro de tiros, mas um guarda ficou ferido no braço sem gravidade. Em contato com o Sindicato dos Trabalhadores da Construção Civil (SITICOMMM), a direção da entidade esclareceu à Prefeitura que não participou da manifestação e que repudia a ação.

Foto: Divulgação / PMDC

Legenda: Portão de acesso ao prédio da prefeitura teria sido destruído pelos manifestantes

Deixe uma resposta