Justiça aceita denúncia contra acusados de participação na chacina de Colniza

Maíra Heinen- Ag. Nacional

O Tribunal de Justiça de Mato Grosso aceitou a denúncia oferecida pelo Ministério Público Estadual contra Valdelir João de Souza, conhecido como “Polaco Marceneiro”; Pedro Ramos Nogueira, o Doca; Paulo Neves Nogueira, Ronaldo Dalmoneck, o Sula; e Moisés Ferreira de Souza; conhecido como Sargento Moisés, acusados de participarem da chacina na Gleba Taquaruçu do Norte, no município de Colniza.

O juiz Ricardo Frazon Meneggutti determinou também a prisão preventiva de Valdelir João de Souza, apontado como mandante do crime, e de Moisés Ferreira de Souza.

Na decisão, o magistrado afirma que os réus em liberdade podem intimidar as testemunhas. Os acusados têm 10 dias para apresentar as defesas.

Eles vão responder por homicídio triplamente qualificado, quando há tortura, emboscada e pagamento pelo serviço.

Segundo o Ministério Público, o grupo percorreu nove quilômetros da Linha 15, na localidade de Taquaruçu do Norte, matando, com requintes de crueldade, todos os que encontraram pelo caminho. A motivação dos crimes seria a extração de recursos naturais da área.

Com a morte das vítimas, a intenção do mandante era “assustar” os moradores e expulsá-los das terras, para depois ocupá-las.