Lula é condenado a 12 anos de prisão; PT diz que ele será candidato

Foto: Divulgação/EBC

Os três desembargadores do TRF-4 votaram de forma unânime nesta quarta-feira pela manutenção da condenação e pela ampliação da pena de prisão do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. O político foi condenado por corrupção passiva e lavagem de dinheiro, em função da aquisição e reforma do apartamento triplex em Guarujá (SP), recebido da empreiteira OAS.

Os magistrados negaram o recurso da defesa de Lula contra sentença aplicada pelo juiz Sérgio Moro, em primeira instância, e também aumentaram a pena do ex-presidente de 9 anos e meio de prisão para 12 anos e 1 mês de prisão em regime fechado, atendendo o pedido do Ministério Público Federal (MPF).

O último desembargador a votar, Victor Luiz dos Santos Laus, seguiu os votos dos seus colegas.

Laus disse que os desembargadores não julgam pessoas, mas fato.

“Esses fatos que foram trazidos no âmbito da instrução criminal foram objeto de ampla investigação. O resumo que se tem é que, ao fim e ao cabo, aquele primeiro mandatário auferiu benefícios com esses fatos”, explicou.

Ainda cabem recursos tanto da parte da defesa do ex-presidente quanto do Ministério Público Federal (MPF) – a Corte já informou que Lula não será preso até a análise de todos os eventuais recursos na segunda instância.

Os desembargadores também concordaram em reduzir as penas previstas inicialmente para o ex-presidente da OAS, José Aldemario Pinheiro Filho, e para o ex-diretor da área internacional da OAS, Agenor Franklin Magalhães Medeiros. José Aldemário, conhecido como Léo Pinheiro, foi condenado em primeira instância a 10 anos e 8 meses de prisão, mas teve a pena reduzida para três anos e seis meses. Já Agenor Franklin teve a pena reduzida para um ano e 10 meses. A princípio, ele tinha sido condenado pelo juiz federal Sérgio Moro a seis anos.

PT mantém promessa: Lula será candidato

Segundo o partido, o resultado do julgamento de Lula no TRF-4 foi resultado dos “votos claramente combinados dos três desembargadores”.

Pouco depois da condenação do ex-presidente ser confirmada por desembargadores do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4), o Partido dos Trabalhadores (PT) emitiu uma nota confirmando a candidatura de Lula à presidência e acusando os juízes de terem realizado uma “farsa judicial”.

“O resultado do julgamento do recurso da defesa de Lula, no TRF-4, com votos claramente combinados dos três desembargadores, configura uma farsa judicial. Confirma-se o engajamento político-partidário de setores do sistema judicial, orquestrado pela Rede Globo, com o objetivo de tirar Lula do processo eleitoral”, afirmou a nota do partido.

Em nota, publicada nas redes sociais, o PT afirmou que sim, Lula será candidato, mesmo se condenado.

​”Vamos confirmar a candidatura de Lula na convenção partidária e registrá-la em 15 de agosto, seguindo rigorosamente o que assegura a Legislação eleitoral”, afirmou o partido.

E advertiu: “Se pensam que história termina com a decisão de hoje, estão muito enganados, porque não nos rendemos diante da injustiça”.

Mais cedo, o deputado Paulo Teixeira (PT-SP) havia dito à Sputnik, que o partido pretende recorre até a última instância e que Lula era o candidato à presidência da república.

Fonte:  Sputnik