MinC inaugura novo Cine Teatro São Joaquim, na Cidade de Goiás, nesta sexta-feira

Foto: Lázaro Ribeiro - Prefeitura de Goiás
O Ministério da Cultura (MinC), por meio do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), reabre, nesta sexta-feira (2), o Cine Teatro São Joaquim, na Cidade de Goiás (GO). Casa e berço de inúmeras manifestações artísticas na antiga capital goiana, passando do teatro à dança, da música ao cinema, o Cine Teatro São Joaquim reabre suas portas depois de passar por uma grande obra de requalificação, realizada com investimentos de R$10,09 milhões do PAC Cidades Históricas. A expectativa é que o Cine Teatro São Joaquim se consolide como o principal equipamento cultural do interior do estado de Goiás, dinamizando a vida cultural da cidade e atraindo desenvolvimento econômico e social.
Para a presidente do Iphan, Kátia Bogéa, o Cine Teatro São Joaquim é o modelo do que deve ser seguido pelo instituto nos próximos anos. “Este ano, estamos comemorando os 80 anos do Iphan, e mais do que olhar para trás, queremos seguir adiante com muita coragem para consolidar o Patrimônio Cultural no cotidiano das pessoas, como um agente de desenvolvimento social e econômico e como vetor de dinamização da vida nas cidades”, declarou.
A inauguração do Cine Teatro São Joaquim será realizada em meio a uma extensa agenda cultural e o lançamento da 19ª edição do Festival Internacional de Cinema e Vídeo Ambiental (Fica). Além da solenidade de entrega da obra, o artista goiano Marcus Biancardini realiza um show no local, seguido de apresentações musicais, teatrais e exibições de filmes durante três dias. Para a entrega da obra, estarão presentes Kátia Bogéa, o diretor do PAC Cidades Históricas, Robson de Almeida, a superintendente do Iphan/GO, Salma Saddi, o governador Marconi Perillo e a prefeita de Goiás, Selma Bastos, entre outras autoridades, reforçando a parceria entre os governos federal, estadual e municipal para a execução da ação.
Requalificação e renovação
Apesar de consolidado como espaço de referência em Goiás, o edifício do Cine Teatro São Joaquim estava em estado precário e tinha uma arquitetura que destoava do conjunto da cidade, além de equipamentos e instalações que não atendiam à demanda dos eventos culturais que eram sediados no local. Executada pela Prefeitura Municipal de Goiás com recursos do Governo Federal, a obra de requalificação foi iniciada em julho de 2015 e teve, entre seus desafios, a busca por uma solução arquitetônica que melhor contextualizasse o edifício em relação a seu entorno. Além disso, a ação atendeu às condições de acessibilidade universal e reequipou o Cine Teatro com novos sistemas de cênica, luminotécnica, acústica, projeção, refrigeração, prevenção de incêndio, subestação de energia e gerador, além de ampliação do backstage, área técnica, camarins e administração. Outro destaque da intervenção é a incorporação de um painel artístico ao foyer, com autoria do artista plástico e intelectual goiano Elder Rocha Lima, retratando a Serra Dourada.
A proposta de requalificação foi apresentada para a comunidade local em evento público na época da assinatura da ordem de serviço. Todo seu desenvolvimento contou com a participação de diversos segmentos culturais, gestores e parceiros do Iphan, tais como o Instituto Federal Goiano, a comissão do Fica e produtores culturais locais.
A requalificação do Cine Teatro São Joaquim chega para marcar um processo de transformações pelas quais a cidade vem passando nas últimas décadas, incluindo o melhor desempenho nas ações do PAC Cidades Históricas em todo o País. Para além das ruas de pedras e do casario, que ainda hoje são a marca do conjunto que é protegido pelo Iphan e reconhecido como Patrimônio Cultural Mundial pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco), a cidade resiste e se renova por meio de uma valiosa produção cultural e artística.
Além do Cine Teatro, foram realizadas as seguintes obras na Cidade de Goiás: recuperação da Ponte da Cambaúba; restaurações da Escola de Artes Plásticas Veiga Valle, do Mercado Municipal e da sede da Prefeitura; e requalificação da Diocese – instalação do arquivo arquidiocesano.
PAC Cidades Históricas
O PAC Cidades Históricas está presente em 44 cidades de 20 estados brasileiros, totalizando R$1,6 bilhão em investimentos em 424 ações. O Programa é uma linha exclusiva do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), criada em 2013 para atender os sítios históricos urbanos protegidos pelo Iphan, proporcionando a revitalização das cidades históricas, a restauração dos monumentos e a promoção do patrimônio cultural.
Fonte: Ministério da Cultura