Moradores de rua montam cabanas em frente à universidade no Centro do Rio

Fotos: Pauty Araujo

Por Evelyn Guimarães

Imagine estar andando pelo Centro da Cidade do Rio de Janeiro e se deparar com cenas desagradáveis de vendas de drogas. Isso acontece no Largo de São Francisco, em frente ao Instituto de Filosofia e Ciências Sociais da Universidade Federal do Rio de Janeiro (IFCS-UFRJ), onde os moradores de rua montaram cabanas em toda a grade de proteção da universidade.

As vendas de drogas não são nada escondidas, basta ficar por ali e em alguns minutos é possível notar a movimentação e até mesmo ofertas, como aconteceu com o nosso repórter fotográfico, que no pequeno período em que ficou sentado em um dos bancos do Largo, foi abordado cinco vezes. Enquanto isso acontecia turistas caminhavam do outro lado do Largo.

Por estarem preocupados com a vulnerabilidade, a direção do IFCS acompanha com atenção a presença dos moradores. “Nos constrange a situação de abandono em que vivem e impotência de saber que não podemos interferir de maneira mais ampla para ajudá-los. Por meio da Prefeitura da UFRJ, enviamos no dia 23 de outubro um ofício à Secretaria Municipal de Assistência Social e Direitos Humanos da Prefeitura do Rio, solicitando com máxima urgência que fossem tomadas providências para dar encaminhamento humano à população do entorno”, declara a diretora Susana de Castro.

A Secretaria Municipal de Assistência Social e Direitos Humanos da Prefeitura do Rio trabalha com acolhimento e, seguindo as leis vigentes, não podem retirar a população adulta e apenas as crianças são encaminhadas para os abrigos independente da vontade. “Estamos tentando reverter essa realidade melhorando as condições dos abrigos, para que os abrigados tenham um local onde se sintam bem e queiram ficar. Além disso, estamos fazendo parcerias para que eles tenham atividades no abrigo, inclusive com capacitação profissional.

Tentamos contato com a Polícia Militar e até o fechamento dessa reportagem, não tivemos retorno.