Nota Preta

Três jovens estudantes da Fundação Getúlio Vargas (FGV) e do Instituto Nacional de Matemática Pura e Aplicada (IPA), criaram o Kilombu, um aplicativo que reúne anúncios de serviços e negócios prestados por empreendedores negros. De acordo com a CEO (Sigla de Chief Executive Office, Diretor Executivo em Português) e uma das criadoras do aplicativo Kilombu, Kizzy Terra diz que o aplicativo surgiu de uma observação de que havia muitos empreendedores negros sem qualificação adequada. Kizzy frisa que existem dados do Sebrae indicando que, embora 50% dos empreendedores brasileiros sejam negros, entre os brancos 78% são empregadores; entre os negros, apenas 9%. “ O que indica que os empreendimentos feitos pelos empreendedores negros são menores, sendo que a maioria nem emprega”, ressalta. “ A partir dessas observações resolvemos fazer algo para mudar esse contexto e criamos o Kilombu, que é um aplicativo para servir também como uma forma de vitrine, para aumentar  a visibilidade desses empreendedores e também explorar a questão da representatividade, explica Kizzy Terra.

 

O Kilombu está disponível para a plataforma Android – http:/www.kilombu.com

Olhos de Azevite – As escritoras Geni Guimarães, Miriam Alves, Esperalda Ruben (SP); Cidinha da Silva, Cristiane Sobral, Taís do Espírito Santo RJ); e Fátima Trinchão (BA) estão no novo lançamento da Editora Malé. Idealizador do projeto e sócio da Malé, Vagner Amaro afirma que a coletânea de “escritoras negras é uma obrigação do mercado editorial brasileiro”. Detalhes em – www.editoramale.com.br

O jornalista e escritor Carlos Nobre prepara o lançamento da biografia de João da Gomeia, lendário babalorixá. A arte de tecer o invisível retrata, a partir de perspectiva histórica, sociológica e antropológica, a personalidade, conquistas e derrotas do pai de santo que nasceu na Bahia e fez fama em Duque de Caxias,  Baixada Fluminense.

A luz de Zózimo – Atriz, coreógrafa e cineasta, Carmem Luz registrou em vídeo todo o projeto Samba Brilha – para o cinema –  em homenagem a Zózimo Bulbu.

 IPCN – O histórico e combativo Instituto de Pesquisa das Culturas Negras –  IPCN – celebra este ano 40 anos de aquisição da sede própria. A programação política cultural permanece no lendário endereço – Avenida Mem de Sá, 208. Entre os permanentes homenageados estão os escritores Amélia Alves, Éle Semog e Ailton Benedito, os primeiros escritores a promover lançamento dos seus livros na IPCN. A coluna parabeniza o IPCN pelos 40 anos da sede própria e pela recauchutagem da casa. Leia mais em http:/recuperacaodoipcn.blogspot.com.br

Centro Sóciocultural Quitungo – A inauguração, no bairro Vila da Penha, Zona Norte do Rio, será em novembro próximo, informa Paulo Cerqueira, líder comunitário. Enquanto prosseguem as obras, o primeiro andar da casa abrigará a seguinte programação

21 de junho – Aniversário de João Cândido, o herói da Revolta da Chibata. Exposição virtual  de fotografia

25 de julho – Dia Internacional da Mulher Negra da América Latina  e do Caribe. Palestrante, professora Jurema Araújo

23 de agosto -Dia Internacional de Recordar o Comércio de Escravos e Abolição. Roda de conversa sobre a obra de Abdias Nascimento

28 de setembro – Aniversário da Lei do Ventre Livre. Exposição de filme seguido de debate

16 de outubro – Dia Internacional de Erradicação da Pobreza. Palestra com Paulo Cerqueira e com o economista Paulo Paixão. Participação – Grupo  Traja Rap

16 de novembro – Més da Consciência Negra. Mostra Awo-Dudu de Video Documentários. Mostra Centro Sociocultural Quitungo de Fotografias

1 de dezembro –  Dia Nacional do Samba -. Bloco do Quitungo