Nova campanha tenta evitar aumentos dos casos de doenças provocadas pelo Aedes aegypti

Com aproximação do verão e o consequente aumento da chuva, aumenta a preocupação com doenças como dengue, zika e a chikungunya. No Estado do Rio, a secretaria de Saúde com o apoio do Conselho de Secretarias Municipais reforça a mobilização nas 92 cidades para que intensifiquem suas ações de prevenção. Na capital, um mutirão de informação e conscientização contra o Aedes aegypti acontecerá em uma escola na região central, na manhã desta sexta-feira (27/10). A ação acontece dentro da Semana Nacional de Mobilização da Educação, Assistência Social e Saúde no combate ao mosquito, iniciada pelo Ministério da Saúde.

Nova campanha tenta evitar aumentos dos casos de doenças provocadas pelo Aedes aegypti

Com aproximação do verão e o consequente aumento da chuva, aumenta a preocupação com doenças como dengue, zika e a chikungunya. No Estado do Rio, a secretaria de Saúde com o apoio do Conselho de Secretarias Municipais reforça a mobilização nas 92 cidades para que intensifiquem suas ações de prevenção. Na capital, um mutirão de informação e conscientização contra o Aedes aegypti acontecerá em uma escola na região central, na manhã desta sexta-feira (27/10). A ação acontece dentro da Semana Nacional de Mobilização da Educação, Assistência Social e Saúde no combate ao mosquito, iniciada pelo Ministério da Saúde.

 

– Estamos nos aproximando do período de altas temperaturas, portanto, precisamos redobrar a atenção. Envolver as crianças é uma forma de garantir um futuro mais consciente em relação à doença, mas é fundamental que todos se mobilizem, utilizando dez minutos por semana para vistoriar as próprias casas e eliminar possíveis focos – reforçou o secretário de Saúde, Luiz Antonio Teixeira Jr.
Os alunos do Colégio Estadual Julia Kubitschek participarão de uma palestra com a equipe de Vigilância Epidemiológica e Ambiental. A ação conta com a presença especial do personagem Dezinho, que passará uma lição de casa especial para os jovens: aprender a não deixar água parada e eliminar os focos do mosquito por meios simples, como virar as garrafas vazias para baixo, colocar areia nos vasos de plantas, não deixar pneus expostos à água da chuva, entre outras atitudes que fazem a diferença.

– A criança aprende e leva para casa esse conhecimento, envolvendo ainda mais pessoas no combate ao mosquito. Multiplicar essas informações, atingindo toda a população, é um dos nossos objetivos. Só com a conscientização poderemos reduzir os índices de infestação do mosquito – disse o subsecretário de Vigilância em Saúde, Alexandre Chieppe.

 

Apenas este ano, até o dia 10 de outubro, foram notificados 9.280 casos de dengue no Estado do Rio de Janeiro. Em todo o ano de 2016, foram notificados 85.283 casos suspeitos da doença no Rio. As notificações foram compiladas a partir dos dados inseridos no Sistema Nacional de Agravos de Notificação (Sinan) pelos municípios de todo o estado.

– O mosquito tem um ciclo semanal. Então não custa tirar dez minutinhos, uma vez por semana, para procurar e neutralizar os focos dentro de casa. Cerca de 90% dos locais propícios para a reprodução do Aedes aegypti estão em imóveis residenciais. A prevenção ainda é a forma mais eficiente de se combater o vetor – destacou Chieppe.

Deixe uma resposta