O maior iceberg da Antártida Larsen rompeu

Em mais do que 6.000 km² em área, o novo iceberg representa mais do que 10% do banco de gelo. Este rompimento é dramático, mas normal no ciclo de vida de uma plataforma de gelo. No entanto, os cientistas vão estar olhando para determinar se a perda do iceberg terá qualquer impacto sobre a estabilidade da plataforma de gelo restante. Com cerca de 30 metros de espessura este bloco 190 m de gelo fica acima da superfície do mar.

 

Uma plataforma de gelo é uma extensão flutuante de geleiras terrestres que desaguam no oceano. Porque eles já flutuam no oceano, a sua fusão não contribui diretamente para a elevação do nível do mar. No entanto, as plataformas de gelo agir como contrafortes segurando geleiras que fluem para a costa.

A plataforma de Gelo Larsen está localizada na costa da Península Antártica, a plataforma de gelo Larsen é dividida em três pequenas plataformas de gelo Larsen – A, B, e C. Larsen A e B já experimentaram reduções maciças ao longo das últimas duas décadas. Agora foi a vez da Larsen C se romper. O bloco de gelo é maior que a cidade de Brasília e agora está solto no mar. É bastante difícil prever o futuro desse iceberg. Ele pode permanecer intacto durante muito tempo ou se romper em diversos fragmentos, o que é mais provável. Blocos maiores podem se manter por décadas, enquanto pedaços menores podem dirigir para águas mais quentes ao norte e derreter. Segundo o MIDAS, a plataforma completa media 55 mil km quilômetros quadrados e deverá se desintegrar totalmente até o final da década.

Este evento é causado ​​pela mudança climática?
O Professor Vaughan diz: “Há pouca dúvida de que a mudança climática está causando o desaparecimento de plataformas de gelo em algumas partes da Antártida no momento. Não vemos nenhum sinal óbvio de que o aquecimento global está causando a quebra da Antártida. No entanto, em torno da Península Antártica, onde vimos várias décadas de aquecimento através da segunda metade do 20º século, vimos estas plataformas de gelo em colapso e perda de gelo aumentando.

“Há outras partes da Antártida que estão perdendo gelo aos oceanos, mas aqueles são afetados menos pelo aquecimento atmosférico e mais pela mudança do oceano.”

“A própria Larsen C pode ser um resultado da mudança climática, mas, em outras plataformas de gelo que vemos rachaduras formando, o que nós não acreditamos ter qualquer ligação com a mudança climática. Por exemplo na Plataforma de gelo Brunt onde BAS tem a sua Estação Halley, as rachaduras são um tipo muito diferente que nós não acreditamos ter qualquer ligação com a mudança climática “.

Os cientistas têm agora a oportunidade de estudar a estabilidade da plataforma de gelo remanescente, bem como a compreensão de como as novas comunidades biológicas poderia ocupar o oceano recém-exposta e áreas do leito do mar subjacentes.

Fonte: British Antarctic Survey (BAS)