O METEORO

– Ei, DJ Aragon! Chega aqui fora rápido, vem ver uma coisa!

– O que foi jornalista? O que aconteceu?

– Está vendo lá no céu, aquele meteoro caindo?

– Meteoro? Nossa! Aonde, jornalista?

– Ali, DJ, vindo a milhares de quilômetros por hora em nossa direção!

– Não estou vendo… Qual é o tamanho dele?

– Deixa eu ver… Hummm… Assim não vai dar! Vai lá dentro da Casa! Pega uma fita métrica! Rápido! Antes que ele caia aqui na gente!

– Meu Deus! Claro! Peraí! Meu Deus dos meus sacrilégios! Peraí, jornalista!

(…)

– Pronto! Tá aqui a fita métrica! Ele tá chegando na gente?

– Um minuto!… Caramba!

– O que foi, jornalista!! Fala!!

– Ele é muito grande mesmo! Essa fita métrica não dá!

– E o que faremos??

– Preciso de mais fita métrica! Volta pra casa e pega com os terapeutas estagiários!

– Quantas você precisa?

– O suficiente para medir o tamanho daquela pedra gigante que daqui a uns minutos irá devastar a gente e toda a zona sul do Rio! Rápido, DJ!!

– Peraí! Já volto com mais fitas métricas!!

(…)

– Jornalista, tá aqui!! Consegui!!

– Só mais três, DJ??

– Mas não tem mais fita métrica na casa! E os técnicos lá dentro já queriam me encher de remédios!

– Pois você vai precisar! Veja! Ele está chegando, DJ!!!

– MEU DEUS!!! NÃO!!!

– SIM!!!

– NÃO!!!!

– SIM!!!!!!

– HAAAAAAHHH!!! EU NÃO QUERO MORRER!!! CADÊ ESSE METEORO DESGRAÇADO, JORNALISTA???

– Cara, você é cego?? Olha aquela bola de fogo em alta velocidade perto daquela nuvem!!

– Mas o céu está todo nublado, jornalista! Eu não vejo nada!!

– DJ, faça como eu… Use a imaginação…