Obras restauradas em Mariana (MG) serão entregues nesta quinta-feira

MinC entrega nesta quinta-feira restauração de obras de artistas mineiros da Igreja Nossa Senhora do Rosário dos Pretos (Foto: Samuel Consentino)
Do Iphan
O Ministério da Cultura (MinC), por meio do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), entrega, nesta quinta-feira (25/5), às 15h, a primeira obra do PAC Cidades Históricas em Mariana (MG): a restauração de obras de artistas mineiros da Igreja Nossa Senhora do Rosário dos Pretos. Além das peças, assinadas por nomes como Vieira Servas e Mestre Ataíde, símbolos da arte religiosa em Minas Gerais e em todo o país, foram restaurados o forro da capela-mor, retábulos colaterais, altar-mor e outros bens do conjunto de elementos artísticos. O cenário inclui corpo em madeira de jacarandá, altares com trabalhos em talha e ouro, em estilo rococó de decoração suave, coroado pela pintura da Assunção da Virgem no teto da capela-mor.
O resultado do trabalho de restauração, que contou com R$ 1,6 milhão de recursos do MinC, será apresentado à comunidade em cerimônia e celebração eucarística com a presença da presidente do Iphan, Kátia Bogéa, do diretor do PAC Cidades Históricas, Robson de Almeida, da superintendente do Iphan em Minas Gerais, Célia Corsino, e do prefeito de Mariana, Duarte Eustáquio Gonçalves Júnior, entre outras autoridades políticas e eclesiásticas.
Na ocasião, também será dada a autorização para contratação da próxima etapa de trabalhos na Igreja Nossa Senhora do Rosário dos Pretos, com investimentos de cerca de R$ 2 milhões, que incluirá a restauração arquitetônica do edifício e a implantação do Museu Vieira Servas.
Com o conjunto das ações no local, o PAC Cidades Históricas, que abarca ainda outras 14 obras na cidade, contribui para o estímulo ao turismo na região, consolidando Mariana como referência para os estudos sobre a arte religiosa, seus artistas e o Patrimônio Cultural brasileiro como um todo.
Um símbolo mineiro
A pedra fundamental para a construção da Igreja do Rosário de Mariana foi lançada em 1752. O conjunto de elementos artísticos que compõe sua decoração interna tem lugar de destaque na arte religiosa de Minas Gerais dos séculos XVIII e XIX, com autoria de dois importantes artistas do período: o entalhador Francisco Vieira Servas e o pintor marianense Manuel da Costa Ataíde. O primeiro realizou toda a obra de talha do interior do templo entre os anos de 1770 e 1775, e o segundo, por sua vez, produziu a decoração pictórica anos mais tarde, entre 1823 e 1826.
Além dos trabalhos já conhecidos na Igreja, a equipe técnica à frente das ações de restauro descobriu pinturas de quase 200 anos nas paredes do altar lateral da Igreja, escondidas por várias camadas de tinta. Os técnicos responsáveis acreditam que se trata de uma obra do século XIX, também de autoria do Mestre Ataíde ou de seu filho e ajudante Francisco de Assis Pacífico da Conceição.
PAC Cidades Históricas
Mariana é uma das oito cidades mineiras a receber o PAC Cidades Históricas, contemplando quinze ações e um total de R$ 67,28 milhões em investimentos no estado. Além da Igreja do Rosário, também está em execução, em Mariana, a Restauração da Catedral da Sé de Nossa Senhora da Assunção.
O PAC Cidades Históricas está presente em 44 cidades de 20 estados brasileiros, totalizando R$ 1,6 bilhão em investimentos em 424 ações. O Programa é uma linha exclusiva do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), criada em 2013 para atender os sítios históricos urbanos protegidos pelo Iphan, proporcionando a revitalização das cidades históricas, a restauração dos monumentos e a promoção do patrimônio cultural, com foco no desenvolvimento econômico e social e no suporte às cadeias produtivas locais.