Organização envolvida em fraudes contra o Enem é caçada no Nordeste do país

O Ministério Público Federal (MPF) e a Polícia Federal (PF) deflagraram, na manhã desta quarta-feira (8/11), a Operação Adinamia. O objetivo é desarticular organização criminosa que atua em esquema de fraudes a concursos públicos e processos seletivos para ingresso no ensino superior, por meio do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2016/2017, no Ceará e em outros estados da Federação.

Foram cumpridos 36 mandados: 21 de busca e apreensão, quatro de prisão preventiva e 11 de condução coercitiva, nos estados do Ceará (Fortaleza, Juazeiro, Barbalha, Mauriti, Abaiara e Lavras da Mangabeira), Paraíba (São José de Piranhas e Cajazeiras) e Piauí (Teresina). As fraudes consistiam na violação antecipada de lacres para acesso às provas do Enem e concursos e/ou utilização de candidato piloto e de ponto eletrônico, com a transmissão dos gabaritos.

De acordo com as investigações, o curso de medicina é o principal alvo das fraudes e também o mais caro. Os fraudadores cobravam em torno de R$ 90 mil por vaga, em que a metade do valor era pago antes do concurso e metade depois de garantida a vaga.

As investigações abrangem fraudes a processo seletivo e concursos públicos, organização criminosa e lavagem de dinheiro. As penas preveem prisão de um 1 a quatro anos, três a oito anos, e três a 10 anos, respectivamente, e multas.

Deixe uma resposta