PF apreende 250 quilos de cocaína no Aeroporto Tom Jobim, no Rio

Foto: Divulgação

A Polícia Federal anunciou a prisão de quatro pessoas e a apreensão de mais de 250 quilos de cocaína em ação coordenada pela Delegacia do Aeroporto Internacional Tom Jobim, no Rio. A operação começou nessa quarta-feira e terminou no feriado do Dia da Independência. Segundo a PF, é a maior apreensão desse tipo de droga já realizada no Aeroporto do Galeão.

Durante fiscalização de rotina no saguão do aeróporto, foi identificada uma movimentação suspeita por parte de um homem que se dirigia ao balcão de uma companhia aérea. Os policiais passaram a acompanha-lo a distância e de forma velada. Eles observaram que o funcionário que fazia o atendimento aparentava nervosismo e decidiram realizar a abordagem no momento em que eram despachadas para embarque malas que continham em seu interior cerca de 60 quilos da droga. Ambos foram presos em flagrante.

As malas receberam etiquetas simulando que seguiriam em voo para Brasília, mas tinham como destino final Portugal. A bagagem despachada estava etiquetada em nome de outra pessoa. O homem alegou que era taxista.

Em desdobramento da operação, foram identificados mais dois funcionários da companhia aérea que faziam parte do esquema criminoso. Eles também foram presos. Informações de inteligência indicaram que o restante da droga poderia estar escondido em um galpão no Mercado São Sebastião, na Penha. Lá, a PF localizou, armazenados em um depósito, 213 tabletes de cocaína. Todos os presos são brasileiros e foram indiciados por tráfico internacional de drogas, cuja pena pode chegar a 25 anos de reclusão. A polícia não revelou os nomes das pessoas presas.

Sábado passado (02/09) a PF já havia apreendido cerca de 30 quilos de cocaína que estavam em poder de um grupo de cinco pessoas que foram presos cinco integrantes de um grupo que pretendia embarcar para Portugal. Um dos presos transportava o entorpecente junto ao corpo. Um casal chegou a embarcar sem a droga em voo tendo como destino o país europeu, mas foi impedido de entrar em território europeu após a Adidância da PF em Portugal ser acionada e comunicar o fato às autoridades portuguesas.

Deixe uma resposta