Prefeitura do Rio promove ação de prevenção ao HIV

A Coordenadoria Especial da Diversidade Sexual (CEDS RIO), em parceria com a AIDS Healthcare Foundation (AHF), uma organização social sem fins lucrativos representada no Brasil pelo Impulse Group, e o grupo Pela Vidda, vão promover diversas ações para alertar sobre a doença no Dia Mundial de Luta Contra ao HIV/AIDS, nesta sexta-feira (1). Uma tenda de serviços será montada na Praça Marechal Floriano, na Cinelândia, e disponibilizará teste rápido para detecção do vírus HIV – um exame oral realizado com fluidos da saliva. Os voluntários das ONGs e os servidores da CEDS Rio também irão realizar a distribuição de kits contendo material informativo de prevenção das infecções sexualmente transmissíveis (IST), preservativos (masculino e feminino), além de gel lubrificante.

Segundo estatísticas, os grupos sociais mais vulneráveis a doenças sexualmente transmissíveis e com maior chance de exposição ao HIV são os homens que fazem sexo com homens (HSH), profissionais do sexo, e pessoas trans (transexuais e travestis). Entre os homens, por exemplo, nos últimos dez anos houve um aumento da taxa de detecção principalmente entre aqueles com idade entre os 15 e 24 anos, e acima de 60 anos.

Dados do Ministério da Saúde demonstraram taxas de prevalência de HIV mais elevadas nestes subgrupos populacionais, quando comparadas às taxas observadas na população em geral: 4,9% entre mulheres profissionais de sexo; 5,9% entre pessoas que usam drogas (exceto álcool e maconha); 10,5% entre gays e homens que fazem sexo com homens (HSH) e 31,2% entre as pessoas transexuais.

O coordenador especial da Diversidade Sexual, Nélio Georgini, defende ações e campanhas permanentes de prevenção. “Ainda existe tabu e preconceito em relação às doenças sexualmente transmissíveis, mas todos estão sujeitos a contrair o HIV. A doença não atinge somente uma classe social específica, ou os chamados grupos de risco, todos estão suscetíveis. A prevenção é a forma mais segura para controlar a epidemia”, conclui.

A CEDS Rio, em conjunto com a Secretaria Municipal de Saúde (SMS), desenvolveu durante todo o ano ações de prevenção em eventos públicos, pontos de prostituição, e com a população em situação de rua. No Carnaval, por exemplo, foram distribuídos mais de 1,2 milhões de camisinhas e 236 mil unidades de gel lubrificante. O gel tem a função de evitar fissuras anais e vaginais, que elevam o risco de contaminação, além de prevenir que a camisinha rasgue.

Unidades de Atenção Primária disponibilizam testes gratuitos para HIV

As Clínicas da Família e os Centros Municipais de Saúde do município fazem os testes para HIV e sífilis gratuitamente. Além dos exames, são prestados aconselhamento e informações sobre as formas de transmissão e de prevenção, com abordagem de questões relacionadas aos riscos de infecção por contato sexual ou não.

Todos os que desejarem realizar os testes podem procurar as Unidades de Atenção Primária da Secretaria Municipal de Saúde (SMS) portando o documento de identidade. Os resultados estarão disponíveis em 10 dias na unidade onde foi realizada a coleta. Para saber a unidade de saúde mais próxima de sua casa, basta entrar no site da SMS.

Em caso de resultado positivo, uma equipe de saúde estará preparada para orientar sobre o tratamento e tirar dúvidas. Durante todo o ano o teste pode ser feito em todas as unidades de Atenção Primária. O paciente receberá orientações e uma solicitação de alguns exames para o acompanhamento de seu caso.

Fonte:  Pref. Rio

Deixe uma resposta