Primeiro dia do ano começa com chuva entre o Sul e Sudeste do Brasil

O primeiro dia do ano, áreas de instabilidade atuarão em grande parte do país, com pancadas de chuvas localmente fortes em diversos pontos das Regiões Norte, Centro-Oeste e Sudeste, que virão acompanhadas de descargas elétricas, rajadas de vento, podendo gerar acumulados significativos de precipitação em diversos pontos da Região Sul, principalmente a partir da tarde e no oeste e sul do RS, até a madrugada. No Nordeste, há possibilidade de chuva no MA, sul do PI, oeste e sul da BA.

O final de semana do Natal começou com temperaturas altas e temporais entre os estados do Centro-Oeste e Sudeste, associados a formação da zona de convergência, que para o Réveillon formará a ZCAS (Zona de Convergência do Atlântico Sul) e um ciclone  de características subtropicais. No dia 24/12,  as grandes linhas de instabilidades em MG e RJ deram origem a SCM (Sistema Convectivo Mesoescala) ou CCM (Complexo Convectivo Mesoescala) provocando uma área de baixa pressão, trazendo tempestades severas entre as regiões do sul do Estado e a capital.  Nos bairros da zona Norte e da zona Oeste do Rio de Janeiro, uma Downburts provocou um tornado nas mediações de vários bairros até Madureira, onde atingiu o seu ápice. (Veja a  matéria completa em Janeiro de 2018).

Créditos do Fotojornalista Sérginho Bloomfield

TSM-INPE

ZCAS (Zona de Convergência do Atlântico Sul)

Área afetada para 560 municípios do RS e SC:
Campanha, Oeste Catarinense, Grande Florianópolis, Planalto Sul Catarinense, Litoral Sul Catarinense, Encosta do Sudeste, Serra do Sudeste, Depressão Central, Encosta Inferior do Nordeste, Encosta Superior do Nordeste, Campos de Cima da Serra, Planalto Médio, Missões, Alto Uruguai, Litoral Gaúcho.

Área afetada para 1074 municípios do PR e SC:
Planalto Norte Catarinense, Campanha, Metropolitana De Curitiba, Oeste Catarinense, Vale do Itajai, Grande Florianópolis, Planalto Sul Catarinense, Litoral Sul Catarinense, Depressão Central, Encosta Inferior do Nordeste, Encosta Superior do Nordeste, Campos De Cima da Serra, Planalto Médio, Missões, Alto Uruguai, Central Paranaense, Litoral Paranaense, Norte Paranaense, Oeste Paranaense, Sudoeste Paranaense, Sul Paranaense, Litoral Gaúcho, Meio-Oeste Catarinense, Litoral Norte Catarinense.

Área afetada para 35 municípios de MS:
Leste Sul-Mato-Grossense, Sul e Sudoeste Sul-Mato-Grossense, Pantanal Sul-Mato-Grossense, Centro Norte Sul-Mato-Grossense.

Área afetada para 370 municípios de SP e MS:
Aviso para as áreas: Leste Sul-Mato-Grossense, Bauru/Araraquara/Piracicaba, Ribeirao Preto, Araçatuba/São José Do Rio Preto, Presidente Prudente/Marília/Assis, Sul E Sudoeste Sul-Mato-Grossense, Pantanal Sul-Mato-Grossense, Centro Norte Sul-Mato-Grossense

Área afetada para 255 municípios de MG:
Triangulo Mineiro/Alto Paranaíba, Zona da Mata Mineira, Campo das Vertentes de Minas, Oeste Mineiro, Sul/Sudoeste Mineiro.

Risco potenciais: Modelos INMET e GFS
Chuva entre 20 e 30 mm/h ou até 50/100 mm/dia, ventos intensos (60 a 100 km/h) e queda de granizo. Risco para corte de energia elétrica, estragos em plantações, queda de galhos de árvores e de alagamentos.

Instruções:
– Não se abrigue debaixo de árvores, pois há riscos de quedas.
– Desligue aparelhos elétricos, quadro geral de energia.
– Coloque documentos e objetos de valor em sacos plásticos bem fechados em local protegido.
– Revise a resistência da sua casa, principalmente o madeiramento de apoio do telhado.
– Não estacione veículos próximos a torres de transmissão e placas de propaganda (risco de queda pelo vento).
– Obtenha mais informações junto à Defesa Civil (telefone 199) e ao Corpo de Bombeiros (telefone 193).

Predições/Estimativas da semana:

Atenção (RJ), primeira rodada:
Modelos GFS são unânimes para risco de temporais entre o sul de MG e RJ (região Serrana) incluindo a capital. No final da tarde e anoitecer do dia (01/01), tempestades poderão ocorrer em MG (Juiz de Fora) e Região Serrana do RJ, associadas ao resquício da ZCAS (Zona de Convergência do Atlântico Sul);

Segunda-feira, (01 e 02/01), cavado em 500 hPa avançará ainda mais para o Atlântico, linhas de instabilidades chegam até o anoitecer no sudeste, principalmente entre RJ e as regiões da (Costa Verde, Serrana, dos Lagos e Norte), ES e Sul da BA podendo causar acumulados significativos de precipitação com chuvas de até 100 mm/d, conforme os modelos GFS indicam e associadas ao resquício da ZCAS;

PS: Novo cavado com 250 hPa cruza os Andes, entre os dias (01 à 03/01), deslocando-se a leste pelo interior do país, reforçando as áreas de instabilidades que causaram acumulados de chuva expressivos durante a semana entre os países da Bolívia, Paraguai, Argentina e Uruguai e em boa parte do Sul, Centro-Oeste e parte do Sudeste do Brasil, poderão vir acompanhadas de chuva forte, descargas elétricas, ventos de 100 km/h e queda de granizo;

ATENÇÃO (SP, RJ e MG), segunda rodada:

Quarta-feira, (03/01), área de baixa pressão desorganizada na região dos subtrópicos entre SC, PR e SP. Os modelos são coerentes com relação ao volumes de chuva e risco para a formação de nuvens convectivas (Cumulonimbus de grande crescimento vertical), que poderão causar tempestades severas sobre as regiões do centro-oeste, sul e sudeste do país. O tempo permanecerá nublado com temperaturas amenas (talvez), acompanhadas de chuvas localmente forte. Modelos GFS, GEM e NAVAGEM indicam que a ZCAS (Zona de Convergência do Atlântico Sul) volta a se configurar;

Atenção, chance para outro cavado de média troposfera com 1006/1004 hPa na costa entre SC, PR e SP. Muitas divergências dos modelos GFS, em caso de modificação destas projeções, talvez, a Marinha do Brasil (CHM) avalie por ser uma área de baixa pressão. Modelos indicam chance para uma frente estacionária subtropical e novo episódio da ZCAS;

Quinta-feira, (04/01), centro de baixa pressão desorganizado próximo a costa com 1008 hPa. São possíveis grandes acumulados de chuvas e linhas de instabilidade (ZCAS), que poderão vir acompanhadas de descargas elétricas, vendavais de 100 km/h e queda de granizo. Modelos GFS e INMET apresentam acumulados acima da média que estará presente nas regiões norte, centro-oeste e sudeste do país;

Sexta-feira (05 e 06/01), cavado de média troposfera chega no sudeste. Risco para TEMPESTADES SEVERAS que avançarão para SP, MG e RJ acompanhadas de chuva forte, descargas elétricas, vendavais e queda de granizo associadas ao calor e umidade;

Sábado, (06/01), o sol volta sobre a capital do RJ por pouco tempo. As chances de chuvas aumentam sobre o interior de MG e RJ. Novo cavado com 1008 hPa na costa. Modelos indicam que a ZCAS (Zona de Convergência do Atlântico Sul) não se desconfigura totalmente e volta a se refazer, podendo causar impactos sobre as regiões;

Terceira rodada:

Risco para a condição de TEMPO SEVERO, ZCAS (Zona de Convergência do Atlântico Sul) ou ZCOU (Zona de Convergência de Umidade) por divergência por modelos e “linhas de instabilidade”, que poderão ocasionar chuva muito forte, acompanhada de descargas elétricas, vendavais de 100 km/h, queda de granizo associada as nuvens convectivas;

As informações prestadas acima estão sujeitas a atualizações nos próximos dias.

Colaboração do Prof. Douglas V. O. Lessa Paleontólogo do Clima
Fonte de pesquisa: NOAA (Administração Nacional Oceânica e Atmosférica), GFS, GEM, NAVAGEM, CMC, INMET, INPE (BRAMS), Epagri, Windy, Tempo.pt e Marinha do Brasil.

Deixe uma resposta