Primeiro dia do Desfile do grupo especial do RJ

Por Evelyn Guimarães, fotos de Sérginho Bloomfield

Com desfile em homenagem a Arlindo Cruz, a Império Serrano entrou na avenida com o enredo “O império do samba na rota da China” que misturou as tradições ancestrais da China com as atuais. O refrão deixa o povo cantar matar a saudade do Império Serrano, levantou as arquibancadas da Sapucaí e prometendo voltar de vez ao grupo especial.
A São Clemente celebrou os 200 anos da Escola de Artes da Universidade Federal do Rio de Janeiro, o carro abre alas trouxe a chegada dos artistas da missão artística francesa ao Brasil em 1816.

“Corra que o futuro vem aí! foi o enredo da Unidos de Vila Isabel que levou para a avenida a trajetória de descobertas e invenções até os dias atuais. O segundo carro simbolizava a capacidade do homem de seguir em frente e manter a vida em constante movimento através de suas realizações e do seu trabalho.

Em tom de protesto, a Paraíso do Tuiuti abordou os 130 anos da promulgação da Lei Áurea, uma das alas era intitulada como guerreiro da CLT, lembrando dos operários, a classe trabalhadora, carros alegóricos também representavam os trabalhadores sobrecarregados com múltiplas funções em vários braços tentando se proteger dos ataques à CLT. O setor um da Sapucaí gritava “Tuiuti me representa” quando um homem fantasiado de vampiro carregava a faixa presidencial.

A Grande Rio homenageou o centenário do Chacrinha, contando toda a obra do apresentador que encantou uma geração. Considerada a escola doa artistas, trouxe a beleza de Juliana Paes como rainha de bateria, Erika Januza, Carla Dias, Monique Alfradique, Thayla Ayala foram algumas das destaques. Por problemas em um carro alegórico, a escola abriu um buraco na avenida, o que prejudica o quesito harmonia e ultrapassou 5 minutos do tempo permitido.

A Estação Primeira de Mangueira cantou o enredo “com dinheiro ou sem dinheiro eu brinco” que trazia críticas ao atual prefeito da cidade do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella, que cortou as verbas destinadas as escolas de samba. Mangueira retratou em seu desfile as diversas formas de curtir o carnaval no Rio de Janeiro.

“Namastê… A estrela que habita em mim saúda a que existe em você”, foi dessa forma que a Mocidade Independente de Padre Miguel encerrou o primeiro dia de desfiles. A escola prestou homenagens à valorização cultural entre Índia e Brasil nesses mais de 500 anos de história. A comissão de frente celebrou o encontro de deuses e mensageiros, cruzando histórias, culturas e acima de tudo a esperança de um mundo melhor. Já era dia e a arquibancada cantava o enredo.

Deixe uma resposta