Rio celebra cinema negro e exalta cineastas premiados e jovens revelações

O carioca terá, nos próximos dias, uma oportunidade única de conhecer produções brasileiras e internacionais de cineastas negros premiados. Começou nesta quarta-feira (30/08), no Rio de Janeiro, o “Encontro de Cinema Negro Zózimo Bulbul – Brasil, África e Caribe”, que presta uma homenagem aos 80 anos do cineasta Zózimo Bulbul. Com extensa programação que tomará os espaços do Cinema Odeon e Centro Cultural Justiça Federal, na Cinelândia, e o Museu de Arte do Rio (MAR), na Praça Mauá, o evento apresenta 88 filmes, sendo 66 nacionais e 22 internacionais, além de trabalhos de jovens revelações. Com patrocínio da Prefeitura do Rio, por meio da Secretaria Municipal de Cultura (SMC) e da RioFilme, o encontro vai até o dia 9 de setembro, das 10h às 21h.

O evento deste ano celebra sua 10ª edição com justíssima homenagem in memoriam a Zózimo, falecido em 2013. Ator, cineasta e fundador do Centro Afrocarioca de Cinema Zózimo Bulbul, ele foi um dos grandes responsáveis pelo atual momento do cinema negro brasileiro, além de ser uma das maiores referências para a nova geração que se destaca no segmento. A efervescência do cinema negro do Brasil deve-se, principalmente, pelo sucesso de seu trabalho como diretor em “Alma no Olho”.

O encontro recebe cineastas da África do Sul, Nigéria, Guadalupe, Senegal, Burkina Faso, Etiópia, Camarões, Gana e Ruanda possibilitando, a partir de exibições e debates, o intercâmbio com realizadores brasileiros e da diáspora africana. Para o cineasta Joel Zito Araújo, que desde 2014 responde pela curadoria do evento a convite do próprio Zózimo Bulbul, o encontro tem como missão enaltecer os avanços do cinema negro:

– Em um encontro com a característica que o Zózimo imprimiu, onde a maioria dos convidados internacionais é da África, tenho na curadoria a preocupação de oferecer um painel do que está acontecendo neste continente, um painel sobre o cinema feito pela África negra.

Além de destacar as jovens revelações, o evento tem como foco o protagonismo das mulheres negras no setor audiovisual, Pela primeira vez, a pesquisadora Janaina Oliveira é curadora convidada do encontro. Os curtas-metragens “Fé Menina” e “Tia Ciata”, que serão exibidos no evento, são exemplos da expansão do cinema negro pelas lentes das mulheres, com abordagens ao protagonismo feminino. Realizado pelo Coletivo Mulheres de Pedra, “Fé Menina” será exibido nesta quarta-feira, no Cine Odeon.

Ao longo dos anos, o encontro se tornou referência no Brasil e no mundo, cumprindo o papel de fortalecer a identidade negra através de processo formativo com exibições, debates e seminários, entre outras ações. Além da refeitura do Rio, também patrocinam o evento o Ministério da Cultura, a Secretaria da Cidadania e da Diversidade Cultural, a Secretaria do Audiovisual e a Fundação Palmares.

A programação está dividida em Classificação Livre, com sessões às 13h, e Classificação 16 anos, que inclui as demais sessões.

 Endereços:

Cinema Odeon

Praça Floriano, 7 – Cinelândia

Centro Cultural Justiça Federal (CCJF)

Avenida Rio Branco, 241 – Centro

Museu de Arte do Rio (MAR)

Praça Mauá, 5 – Centro.

Ingressos:

– Cinema Odeon: R$ 6 (inteira) e R$ 3 (meia);

– Centro Cultural Justiça Federal e MAR: entrada gratuita com distribuição de senhas 1 hora antes do evento.

Mais informações podem ser obtidas no site do Centro Afrocarioca de Cinema Zózimo Bulbul.

 O Centro Afro Carioca de Cinema

Situado no coração da Lapa no Rio de Janeiro, o Centro Afro Carioca de Cinema realiza oficinas, debates, seminários, mostra de filmes nacionais e internacionais, e lançamentos de livros, buscando abrir novos caminhos a partir de um olhar contemporâneo onde o resgate histórico é feito através do negro como sujeito da ação, percebendo a diversidade da cultura brasileira e a importância da oralidade da cultura africana.

Intensificar as relações internacionais com o Continente Africano, incentivando o Intercâmbio Cultural Brasil África através das relações entre cineastas afro-descendentes do Brasil com cineastas Africanos, também é uma ação do Centro Afro Carioca.

Na construção de sua trajetória, a instituição tornou-se referência nacional e internacional por meio de um trabalho de conscientização, memória e incentivo a novos caminhos, de aumento de auto estima e da compreensão do mundo através da arte cinematográfica.