Rueda destaca partida de tempos distintos e mira a Chapecoense

Neste domingo, treinador sofreu primeira derrota no comando do Flamengo

O treinador Reinaldo Rueda concedeu entrevista coletiva após a derrota para o Botafogo por 2 a 0, neste domingo, no Engenhão, pela 23ª rodada do Brasileirão 2017. Virando a chave para o jogo de quarta-feira, contra a Chapecoense, na Arena Condá, pela Conmebol Sul-Americana, o comandante rubro-negro analisou o revés deste domingo como uma partida de tempos distintos e explicou a escalação da equipe, modificada em relação ao empate contra o Cruzeiro pela primeira decisão da Copa do Brasil. “A escalação não era para priorizar a Sul-Americana e Copa do Brasil. Era para colocar alguns jogadores que não vêm jogando com regularidade, mas isso se paga. Infelizmente, não fomos eficazes no primeiro tempo. Foi um jogo de dois tempos diferentes e não finalizamos no primeiro tempo quando tivemos o controle do jogo. Depois, o Botafogo mostrou sua força. É uma equipe com muita aplicação, com muita força nas bolas paradas. E saíram muito bem no contra-ataque. Ali resolveram o jogo. Temos que levantar a cabeça e fazer o trabalho para quarta-feira contra a Chapecoense”, analisou.

Confira as demais declarações de Reinaldo Rueda:

Escalação 

O Botafogo esta semana não jogou. Nós jogamos contra o Cruzeiro. A ideia é ir alternando os jogadores para chegar em bom nível na Sul-Americana e na final da Copa do Brasil. Temos que saber que o próximo jogo na quarta-feira contra a Chapecoense é difícil também. Hoje atuaram vários dos titulares para manter ritmo e outros que estavam na reserva. O resultado é mérito do Botafogo. Principalmente no segundo tempo.

Primeira derrota

Nunca queremos perder. Temos que ser maus perdedores, por tudo que significa Flamengo, pela rivalidade, pelo clássico. Mas eu tinha confiança na equipe que foi a campo. O primeiro tempo terminou com bom controle de jogo nosso, mas faltou finalizarmos. Temos que assimilar essa derrota e reconhecer que tínhamos um grande rival.

Paolo Guerrero

Não achei que Guerrero esteve sozinho no ataque. Quem sabe faltou decisão, capacidade de decisão nos 20 metros finais ou insegurança de finalizar, quisemos sempre finalizar de perto. Faltou ousadia, agressividade ofensiva para jogar no gol adversário. Geuvânio teve chance, Everton Ribeiro teve, Matheus Savio tentou, mas não creio que foi questão de acompanhamento no ataque, mas de tomada de decisão.


Primeiro gol do Botafogo

Na bola parada do gol erramos. Igor ganhou a posição de Cuéllar, mas considero que não é situação de altura, de biotipo, mas sim questão de decisão, de concentração. No jogo anterior, houve situação de Igor Rabello, que Roger não conseguiu completar.

 

Chance de subir na tabela

Os resultados foram a nosso favor, tínhamos que aproveitar para recuperar a posição na tabela, mas assim é o futebol. No primeiro tempo tivemos controle improdutivo, sem contundência, depois fomos surpreendidos na bola parada. Vamos preparar nosso jogo na próxima quarta. Vamos jogar num campo muito difícil, eles (Chapecoense) são fortes em casa, vão tentar aproveitar para tentar um bom resultado.

 

Deixe uma resposta