Santander cancela exposição após denuncia de blasfêmia e pedofilia

Debaixo de severas críticas nas redes sociais, e vídeos denunciando imagens de blasfêmias a símbolos do cristianismo, e “apologia à zoofilia” pedofilia, o Santander Cultural cancelou neste último domingo (10) a exposição Queermuseu- Cartografias da Diferença na Arte. A mostra aconteceu em Porto Alegre (RS), e estava previsto terminar no dia 8 de outubro. Em nota oficial a instituição justificou o motivo do cancelamento da exposição.

Um dos vídeos postados no YouTube, denunciando a mostra, o youtuber Rafinha BK, do Canal BK Tuber, foi colocado para fora do espaço cultural, pelos seguranças, por estar filmando e denunciando algumas obras expostas, que segundo ele, faziam apologia a pedofilia, e blasfêmias a símbolos sagrados. Durante a gravação do vídeo, foi interpelado pelos seguranças, que o proibiram de filmar e fotografar as obras, mesmo com a insistência de Rafinha. “Não pode fazer filmagem?Foto pode?Também não…agora mudou a regra, na semana passada estive aqui, e podia. Isto aqui na verdade é blasafêmia, tá! Isto aqui fere o artigo 208 do Código Penal”, indignou- se diante da imagem de um Cristo cruxificado, estilizado com vários braços, cujas mãos seguram vários objetos bizarros.

Em outro ambiente, mostra alguns quadros, que segudo Rafinha, fazem apologia a pedofilia. ”Olha só: Adriano, criança viada, olha isso! É o senhor que é o responsável por esta exposição?”, Pergunta a um dos funcionários ao ser abordado, mas este vira asa costas e sai, fugindo da filmagem. Após mostrar outras obras, e uma suposta criança no ambiente, é abordado pelos seguranças, e após protestar é retirado do espaço cultural pelos seguranças.

NOTA SOBRE A EXPOSIÇÃO QUEERMUSEU

Nos últimos dias, recebemos diversas manifestações críticas sobre a exposição Queermuseu – Cartografias da diferença na Arte Brasileira. Pedimos sinceras desculpas a todos os que se sentiram ofendidos por alguma obra que fazia parte da mostra.

O objetivo do Santander Cultural é incentivar as artes e promover o debate sobre as grandes questões do mundo contemporâneo, e não gerar qualquer tipo de desrespeito e discórdia. Nosso papel, como um espaço cultural, é dar luz ao trabalho de curadores e artistas brasileiros para gerar reflexão. Sempre fazemos isso sem interferir no conteúdo para preservar a independência dos autores, e essa tem sido a maneira mais eficaz de levar ao público um trabalho inovador e de qualidade.

Desta vez, no entanto, ouvimos as manifestações e entendemos que algumas das obras da exposição Queermuseu desrespeitavam símbolos, crenças e pessoas, o que não está em linha com a nossa visão de mundo. Quando a arte não é capaz de gerar inclusão e reflexão positiva, perde seu propósito maior, que é elevar a condição humana.

O Santander Cultural não chancela um tipo de arte, mas sim a arte na sua pluralidade, alicerçada no profundo respeito que temos por cada indivíduo. Por essa razão, decidimos encerrar a mostra neste domingo, 10/09. Garantimos, no entanto, que seguimos comprometidos com a promoção do debate sobre diversidade e outros grandes temas contemporâneos.

Na integra o vídeo denuncia de Rafinha: https://www.youtube.com/watch?v=7_nlayE-a14&feature=youtu.be

1 COMENTÁRIO

Deixe uma resposta