Talento e ética a serviço do jornalismo

Caso fosse realizado um Hall da Fama do jornalismo brasileiro, o jornalista, escritor, ensaísta e historiador Alberto Dines, 85 anos, que durante 12 anos diriguiu a redação do extinto Jornal do Brasil, certamente faria parte da lista. Com passagens por vários veículos de comunicação de massa, criou o site Observatório da Imprensa para acompanhar e analisar a mídia brasileira. Em 1998 foi lançado o programa semanal na tv e, em 2005, no rádio.

Mestre de várias gerações de jornalistas, Dines é referência também na literatura. Escreveu mais de 15 livros. Um dos mais famosos foi Morte no Paraíso, a tragédia de Stefan Zweig (1981), adaptado para o cinema pelo cineasta Sylvio Back em 2002.

Numa perfeita simbiose de talento e ética, escreveu seu nome na história do jornalismo brasileiro. Sua carreira profissional está relatada no livro Ensaios em homenagem a Alberto Dines. Jornalismo, história e literatura, em comemoração pelos seus 65 anos de jornalismo. Uma coleção de artigos redigidos pelos amigos e colegas de Dines, organizado por Avraham Milgram e Fábio Kofman. Editora – Edições Janeiro.

Nestes tempos de jornalismo sem compromisso com o interesse público, manipulações de toda ordem, e com a categoria aviltada, o livro é oportuno e deveria ser leitura obrigatória nas faculdades de jornalismo.