Tanquinho comemora estreia pelo UFC no Brasil

Carioca está escalado para enfrentar Boston Salmon no dia 28 de outubro, em São Paulo

Tanquinho fará sua estreia lutando MMA no Brasil (Divulgação/UFC)

Enquanto a grande maioria dos lutadores brasileiros sonham em se apresentar no exterior, Augusto Tanquinho vai na contramão. Carioca, o peso-galo (até 61,2 kg) fez todos os seus combates no cartel competindo nos Estados Unidos, onde vive e treina atualmente, mas chegou a tão aguardada oportunidade de lutar diante da família, amigos e fãs brasileiros. Tanquinho encara Boston Salmon no UFC São Paulo, dia 28 de outubro, no Ginásio do Ibirapuera, na capital paulista.

Há seis anos morando no Arizona, nos Estados Unidos, Tanquinho realizou todas as oito lutas de seu cartel profissional no MMA no país. Foram seis triunfos e apenas duas derrotas desde então. No Brasil, o atleta apenas disputou competições de jiu-jitsu e grappling, o que torna seu quarto combate no octógono do UFC ainda mais especial.

“Quando recebi o convite do UFC para lutar no Brasil, foi uma sensação muito boa. Lutar pelo evento no meu país será um sonho realizado. Estou muito animado, ainda mais por lutar contra um norte-americano. Já consigo imaginar a torcida cantando, fazendo um barulho enorme. Não terei que dividir a torcida com meu adversário, vou ter a galera toda ao meu lado”, comemora o carioca, aos risos.

De fato, o apoio da torcida brasileira será bem-vindo para Tanquinho. Em três combates pelo UFC, o lutador venceu Frankie Saenz no início deste ano, e amargou dois reveses na organização. O mais recente diante de Aljamain Sterling, em abril passado, por pontos. A força que virá do público presente na arena será uma motivação extra para o brasileiro.

“O apoio da galera será fundamental para conseguirmos uma vitória juntos. Eu sou o tipo de atleta que cresce com a força da torcida. Sentir os fãs ao meu lado, me apoiando, me empurrando para vencer, fará a diferença. Com certeza, meu adversário nunca passou por isso, sentir essa pressão. Vou tirar proveito de cada segundo desse clima, dessa torcida fanática ao meu lado, e isso vai me motivar ainda mais para fazer uma grande luta e presentear o Brasil com uma grande vitória”, analisa.

O embate entre Tanquinho e Boston Salmon colocará frente a frente dois lutadores oriundos de escolas diferentes, mas de carteis no MMA bem semelhantes. Tricampeão mundial de jiu-jitsu, o brasileiro é dono de seis vitórias e duas derrotas, enquanto o norte-americano, especialista em boxe, exibe seis triunfos e um revés, e fará sua estreia no octógono. Além da torcida, Tanquinho confia na experiência como mais um ponto favorável a seu favor.

“Meu adversário é um cara duro, tem uma boa trocação. Temos carteis parecidos, mas a diferença está na qualidade dos oponentes que enfrentamos. Eu só peguei pedreira, antes de lutar pelo UFC e no evento também. Ele ainda não encarou ninguém do meu nível, e não é melhor do que os caras que enfrentei no UFC. Então estou confiante para conquistar uma boa vitória, confiante no meu potencial e no apoio da torcida brasileira”, acredita.

Antes do UFC, o ADCC

Augusto Tanquinho é movido por desafios. Inquieto na busca pela evolução, o lutador, mesmo focado no MMA, se coloca em provação em competições de jiu-jitsu, modalidade na qual ele conquistou o Mundial de 2013 e os Mundiais Sem Quimono de 2012 e 2015, além dos títulos do Abu Dhabi World Pro de 2011 e 2013. Porém, em sua lista de conquistas, ainda falta a glória máxima no ADCC.

Por isso, nos dias 23 e 24 de setembro, na Finlândia, Tanquinho vai em busca do inédito triunfo. “O ADCC é o único título dos eventos grandes que ainda não tenho. Gosto muito de lutar jiu-jitsu e me testar entre os melhores, então nada melhor do que competir o torneio deste ano. Não vai me atrapalhar em nada na preparação para a luta no UFC. Na verdade, vai até ajudar. Estou empolgado para me sair muito bem nos dois desafios que tenho pela frente”, encerra.

 

Sobre Augusto Tanquinho

Augusto “Tanquinho” Mendes é natural do Rio de Janeiro e iniciou sua caminhada nas artes marciais aos 13 anos, no jiu-jitsu, incentivado por seu irmão mais velho, Bruno “Tanque” Mendes, encerrando assim a vontade de ser jogador de futebol que carregava na infância. Ao lado do irmão, fundou a Soul Fighters, equipe de jiu-jitsu, na capital fluminense. Foi graduado como faixa-preta na modalidade em dezembro de 2004, com então 21 anos de idade, por Francisco Mansor. Sagrou-se campeão mundial na arte suave em 2013, e desde então passou a se dedicar ao MMA profissional, defendendo a equipe MMA Lab. Atualmente com 34 anos, Tanquinho é dono de um cartel de sete lutas profissionais, sendo seis vitórias e apenas duas derrotas. Desde fevereiro de 2016, pertence ao plantel de atletas do UFC.

Deixe uma resposta